Cotidiano

Após avalanche de denúncias, Prefeitura chega para interditar call center de Campo Grande

Uma equipe da Vigilância Sanitária da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), com apoio da GCM (Guarda Civil Metropolitana) e da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) interditou, por volta de meio dia deste sábado (21), a unidade da BTCC Conexão Cliente da Rua Santa Bárbara, no bairro Vila Rica. A fiscalização é motivada devido à […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 21/03/2020, às 12h14 - Atualizado às 13h00

Foto: Marcos Ermínio | Midiamax
Foto: Marcos Ermínio | Midiamax - Foto: Marcos Ermínio | Midiamax

Uma equipe da Vigilância Sanitária da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), com apoio da GCM (Guarda Civil Metropolitana) e da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente) interditou, por volta de meio dia deste sábado (21), a unidade da BTCC Conexão Cliente da Rua Santa Bárbara, no bairro Vila Rica.

A fiscalização é motivada devido à empresa desrespeitar as normas do decreto municipal que, entre outros fatores, proíbe aglomerações acima de 20 pessoas. Relatos obtidos pela reportagem, no entanto, apontam que trabalhadores estavam aglomerados no local, principalmente após fechamento, na última sexta-feira (20), da unidade localizada na Rua Rui Barbosa, no Centro de Campo Grande.

As autoridades municipais aplicaram um termo de interdição e auto de infração à empresa, após confirmarem que havia aglomeração de trabalhadores, em discordância com o decreto municipal publicado no meio da semana.

A partir de agora, todos os trabalhadores foram dispensados e a empresa paralisa as atividades até que o recurso seja julgado. Ela terá que se readequar e ingressar com recurso junto à CJC (Coordenadoria de Julgamento e Consulta, da Vigilância Sanitária), que vai avaliar as medidas adotadas e o recurso da empresa. Somente mediante isso é que ficará definida se a empresa vai funcionar ou não.

Reincidência

Após avalanche de denúncias, Prefeitura chega para interditar call center de Campo Grande
Foto: Ana Paula Chuva/Midiamax

Após várias denúncias, a unidade da BTCC Conexão Cliente no Centro de Campo Grande, também foi fechada por tempo indeterminado e funcionários foram orientados a deixarem o local. A empresa não chegou a ser lacrada e se o call center apresentasse um plano de trabalho que respeite o decreto municipal, poderia voltar a operar normalmente.

Todavia, na manhã deste sábado (21), denúncias feitas ao poder público revelaram, novamente, desrespeito ao decreto 14.199, publicado na última semana – segundo ele, o funcionamento de call centers e similares deverá ser feito com no máximo 20 operadores trabalhando simultaneamente, desde que ainda seja mantida distância mínima de dois metros um do outro.

Avalanche de denúncias

Empresas de call center de Campo Grande relataram ao Jornal Midiamaxdescaso na contenção do Covid-19 e com os funcionários já na manhã deste sábado (21), da mesma forma do ocorrido na sexta-feira.

“Na empresa Telemont, que fica no mesmo prédio da Rui Barbosa, não estão liberando os funcionários e nem reduzindo. Ontem, quando a polícia estava na BTCC, eles começaram a tirar computadores e mandar para a empresa da rua Tapajós. E ligou para os funcionários que iam entrar ir para outro. Assim, ia reduzir a quantidade de pessoas aqui. Hoje é plantão e tem menos gente porque é fim de semana, mas ainda assim ultrapassa a quantidade de pessoas: deve ter uns 40 funcionários”.

Além disso, funcionários também reclamaram da falta de higienização do ambiente. “Esta péssima a situação. O banheiro está sujo e sem sabonete. Apenas tiram o lixo dos cestos, mas o chão é imundo”, aponta outro funcionários que não quis se identificar.

Jornal Midiamax