Cotidiano

Agesul contrata obras de recapeamento e acessibilidade em Dourados por R$ 14,4 milhões

Obras contratadas pela Agesul contemplam linhas de ônibus e regiões próximas da Avenida Marcelino Pires e da Rua Coronel Ponciano.

Jones Mário Publicado em 04/12/2020, às 12h03

Obras na Avenida Marcelino Pires (Foto: Edemir Rodrigues/Governo de MS)
Obras na Avenida Marcelino Pires (Foto: Edemir Rodrigues/Governo de MS) - Obras na Avenida Marcelino Pires (Foto: Edemir Rodrigues/Governo de MS)

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) acertou contrato de R$ 14,4 milhões para obras de infraestrutura urbana em Dourados. Os serviços serão realizados pela Engepar Engenharia e Participações Ltda, empresa de Campo Grande.

Segundo extrato de contrato, as obras contemplam as linhas de ônibus e ruas adjacentes à leste da Rua Coronel Ponciano e ao sul da Avenida Marcelino Pires. A área vai passar por restauração do pavimento, drenagem de águas pluviais, sinalização viária, calçamento e reparos de acessibilidade.

O extrato do contrato foi publicado na edição de hoje (4) do Diário Oficial do Estado. A Engepar terá 540 dias para executar as obras a partir da primeira ordem de serviço.

O extrato leva a assinatura de Emerson Antônio Marques Pereira, diretor-executivo da Agesul, e de Carlos Clementino Moreira Filho, representante da empresa contratada.

A Agesul ainda aditou em R$ 2,195 milhões um contrato de 2018 com a Engepar, para pavimentação de 42,5 quilômetros da rodovia MS-379, entre Laguna Carapã e Aral Moreira. A vigência do vínculo foi prorrogada por mais 120 dias, de 15 de janeiro de 2021 para até 14 de maio do mesmo ano.

Manutenção de rodovias na região de Jardim vai custar R$ 8,2 milhões

A agência também firmou contrato de R$ 8,2 milhões para os serviços de manutenção e conservação de rodovias da região de Jardim, sudoeste do Estado. Os trabalhos incluem 515 quilômetros de estradas, pavimentadas ou não.

A contratada foi a CG 2000 Engenharia Indústria e Comércio Ltda, que fica responsável pelos serviços por exatamente um ano. Os recursos para custear as obras saem do Fundersul (Fundo de Desenvolvimento do Sistema Rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul).

Também publicado hoje, o extrato do contrato é assinado por Emerson Antônio Pereira e Antônio José de Castro, representante da CG 2000.

Jornal Midiamax