Cotidiano

Acredito no diálogo, diz neto de criador do Parque dos Poderes sobre desmatamento

Neto do criador do Parque dos Poderes, em Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, secretário de Finanças do município, comentou sobre a possibilidade de o Governo do Estado desmatar a área para ampliar as estruturas físicas. Projeto aprovado na Assembleia Legislativa revoga o tombamento do local, o que abre caminho para intervenções no parque. “O Parque […]

Mayara Bueno Publicado em 07/02/2020, às 11h40 - Atualizado às 13h12

Semagro, um dos prédios de governo, que fica no Parque dos Poderes. (Semagro, Assessoria, Arquivo).
Semagro, um dos prédios de governo, que fica no Parque dos Poderes. (Semagro, Assessoria, Arquivo). - Semagro, um dos prédios de governo, que fica no Parque dos Poderes. (Semagro, Assessoria, Arquivo).

Neto do criador do Parque dos Poderes, em Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, secretário de Finanças do município, comentou sobre a possibilidade de o Governo do Estado desmatar a área para ampliar as estruturas físicas. Projeto aprovado na Assembleia Legislativa revoga o tombamento do local, o que abre caminho para intervenções no parque.

“O Parque dos Poderes é um patrimônio de Campo Grande e da sociedade de Mato Grosso do Sul. Independentemente do que deve ser feito, é necessário buscar diálogo”. Ele acredita que discussão para se chegar a uma conclusão deve ocorrer entre Assembleia, Câmara Municipal e sociedade. Grupo de contrários à medida do governo protestam há pelo menos uma semana, na tentativa de impedir desmatamento na região.

Se a população for ouvida na conversa entre os poderes, o secretário acredita que não há problema. “Haveria problema em fazer uma ação sem pactuar com a sociedade, mas acredito que o Governo do Estado vai buscar esse diálogo”.

Jornal Midiamax