Cotidiano

Acordo prevê R$ 22 milhões para reformar ponte entre MS e o Paraná

Governo do Paraná fechou entendimento com Dnit e Itaipu Binacional, que vai bancar a revitalização da ligação entre Guaíra e Mundo Novo.

Humberto Marques Publicado em 25/06/2020, às 19h05

Ponte entre PR e MS deve ser reformada ao custo de R$ 22 milhões. (Foto: O Presente)
Ponte entre PR e MS deve ser reformada ao custo de R$ 22 milhões. (Foto: O Presente) - Ponte entre PR e MS deve ser reformada ao custo de R$ 22 milhões. (Foto: O Presente)

Entendimento entre o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), DER-PR (Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná) e a Itaipu Binacional resultou em acordo para a restauração da Ponte Ayrton Senna, sobre o Rio Paraná, que liga Guairá (PR) a Mundo Novo, em Mato Grosso do Sul.

O convênio deverá ser firmado em setembro e prevê R$ 22 milhões na obra, vindos de Itaipu. O entendimento avançou a partir de conversas para melhorar a iluminação na ponte.

“Será uma obra maior que envolve a reforma, além da iluminação. A obra vai ficar a cargo do DER, com recursos da Itaipu, em uma parceria muito parecida com o que estamos fazendo na Ponte da Integração, que é a segunda ponte Brasil-Paraguai. Essa boa parceria dos governos estadual e federal está possibilitando o avanço de obras importantes para o Oeste [do Paraná]”, destacou o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, ao jornal O Presente.

A obra já foi aprovada pelo conselho de Itaipu, que deve analisar outros pedidos do Governo do Paraná –como a reforma da estrada entre Santa Helena e Ramilândia, a duplicação da Rodovia das Cataratas (em Foz do Iguaçu) e obras no Aeroporto de Cascavel.

A Ponte da Integração é uma das duas estruturas financiadas pela Itaipu Binacional para interligar os dois países, e ficará em Foz do Iguaçu –mas, diferente da ligação da Ponte da Amizade, que liga o município a Ciudad del Este, ela se estenderá até Presidente Franco. A outra ponte será construída entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta, ao custo estimado de US$ 75 milhões, viabilizado a rota bioceânica em direção aos portos do Chile.

Jornal Midiamax