Cotidiano

‘Absurdo com a classe assalariada’, diz mãe sobre ônibus lotado que filhas utilizam na volta do trabalho

Leitora enviou a foto do ônibus Centro – T. Hércules Maymone lotado por voltas das 18h30 desta quarta-feira (09), na região central de Campo Grande. “É uma barbaridade, um absurdo com a classe assalariada”, diz a professora Luciana Abdonor, 42, sobre a lotação do coletivo nesta época de aumento de casos de coronavírus em Campo […]

Diego Alves Publicado em 09/12/2020, às 21h06 - Atualizado em 10/12/2020, às 09h53

Linha 056 lotado por volta das 18h30 (Via WhatsApp)
Linha 056 lotado por volta das 18h30 (Via WhatsApp) - Linha 056 lotado por volta das 18h30 (Via WhatsApp)

Leitora enviou a foto do ônibus Centro – T. Hércules Maymone lotado por voltas das 18h30 desta quarta-feira (09), na região central de Campo Grande. “É uma barbaridade, um absurdo com a classe assalariada”, diz a professora Luciana Abdonor, 42, sobre a lotação do coletivo nesta época de aumento de casos de coronavírus em Campo Grande.

“Minhas duas filhas trabalham próximo ao Shopping Campo Grande, todo dia é isso”, conta Luciana sobre o ônibus que suas filhas de 19 e 24 anos utilizam para se deslocarem na volta do trabalho.

Em relação a pandemia, a Capital registrou 10 mortes pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com boletim epidemiológico da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) divulgado na noite desta quarta-feira (09).

Após dois meses de queda em exames positivos, no mês de novembro e dezembro, retornou o crescimento expressivo em casos confirmados. Com isso, a prefeitura decretou novamente o toque de recolher na cidade.

Ao todo, ainda segundo a Sesau, são 837 mortes causadas pelo coronavírus na Capital desde o início da pandemia, com 50.298 casos confirmados. Destes, 854 estão em isolamento domiciliar, 422 em internação e 48.185 já se recuperaram da doença. Dos internados, 251 estão em leitos clínicos e 168 em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva).

Justiça livra Consórcio Guaicurus de pagar R$ 32,8 mil em multas

Nesta quarta, a Justiça deferiu tutela de urgência para livrar o Consórcio Guaicurus de pagar R$ 32.886,00 em multas administrativas aplicadas pela Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito). A decisão impede a inscrição dos débitos em dívida ativa.

Jornal Midiamax