Cotidiano

VÍDEO: Obra de UBSF abandonada há três anos vira criadouro de Aedes

Parada há pelo menos três anos, a obra que se tornaria uma UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) no Jardim Santa Emília, acabou virando um ponto crucial para a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. No último boletim epidemiológico divulgado na sexta-feira (29), a capital sul-mato-grossense havia registrado mais […]

Vinícius Costa Publicado em 01/04/2019, às 11h16 - Atualizado às 12h51

Piscinas foram criadas na laje em decorrência da chuva. (Foto: Reprodução)
Piscinas foram criadas na laje em decorrência da chuva. (Foto: Reprodução) - Piscinas foram criadas na laje em decorrência da chuva. (Foto: Reprodução)

Parada há pelo menos três anos, a obra que se tornaria uma UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) no Jardim Santa Emília, acabou virando um ponto crucial para a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. No último boletim epidemiológico divulgado na sexta-feira (29), a capital sul-mato-grossense havia registrado mais de 15 mil notificações de casos suspeitos da dengue.

O local abandonado fica próximo a um CEINF (Centro de Educação Infantil) que atende crianças até os dois anos de idade. Em um dos vídeos enviado por um leitor do Jornal Midiamax, é possível identificar várias ‘piscinas’ na laje das obras, formadas por conta das chuvas que caíram na cidade nas últimas semanas.

Em contato com a Prefeitura para saber o motivo da paralisação e o abandono da obra, a assessoria se limitou a dizer que “a empresa que venceu a licitação encerrou atividades e será necessário fazer uma nova licitação”, o que daria novo andamento para a conclusão da obra.

Sobre o risco da dengue, a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) informou que foi feito uma solicitação para que fosse vistoriado o local. “Já foi encaminhado para o setor responsável e será designado uma equipe para poder fazer a vistoria. Dentro desta semana será feito o trabalho”.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax