Cotidiano

VÍDEO: Prédios abandonados viram pesadelo para moradores do Amambaí

Na Rua dos Barbosas, uma das principais do bairro Amambaí, em Campo Grande, um imóvel abandonado tornou-se o pesadelo de quem mora nas imediações. Isso porque, após anos fechado, o prédio comercial foi arrombado e invadido por moradores de rua. Além da questão da insegurança, já que os moradores de rua seriam dependentes químicos e […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 02/04/2019, às 10h20 - Atualizado em 03/04/2019, às 11h19

None
Lixo está por toda parte em imóvel que foi invadido e depredado na Rua dos Barbosas (Foto: Reprodução | Youtube)

Na Rua dos Barbosas, uma das principais do bairro Amambaí, em Campo Grande, um imóvel abandonado tornou-se o pesadelo de quem mora nas imediações. Isso porque, após anos fechado, o prédio comercial foi arrombado e invadido por moradores de rua.

Além da questão da insegurança, já que os moradores de rua seriam dependentes químicos e fariam consumo de entorpecentes no imóvel, há também o medo da dengue. Detritos como copos, isopor de marmitex e todo tipo de sujeira passaram a ser acumulados no local, criando potenciais reservatórios de ovos do Aedes aegypti.

De acordo com moradores, os proprietários ignoram o estado do imóvel. Outras duas residências nas imediações, também abandonadas e invadidas, estão em situação semelhante.

“Estou voltando do hospital com a minha mãe, que é idosa, e foi repetir o exame da dengue. Não tenho dúvidas que lá [no imóvel abandonado] tem criadouro de mosquito. É uma situação terrível, a gente fica sem saber o que fazer, sem saber a quem recorrer. Cada morador tem que cuidar da sua propriedade, mas lá está abandonado há anos, e agora temos esse problema da insegurança. Está impossível viver aqui”, conta Vanda Gonzales ao Jornal Midiamax.

A reportagem recebeu um vídeo, filmado por um morador da região, que denuncia a situação de abandono. As imagens comprovam o arrombamento e que o prédio é precariamente habitado.

Procurada pelo Jornal Midiamax, a Prefeitura de Campo Grande destacou que a “solicitação foi encaminhada para a Semadur (Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Gestão Urbana)”, que executa a política de postura municipal, e que “a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) solicitou o envio de uma equipe de agentes ao local para verificar as condições”. Comprovadas as irregularidades, o proprietário do imóvel será notificado.

Vale lembrar que, na região central de Campo Grande, levantamento da Sesau identificou cerca de 350 imóveis particulares fechados, que serão alvo de vistorias de agentes de saúde para combate à dengue. As visitas tiveram início logo após o Carnaval, após a Justiça conceder acesso aos imóveis.

De acordo com a pasta, o acesso dos agentes de saúde é feito com o auxílio de um chaveiro, quando necessário, que abrirá as residências e permitirá a vistoria para eliminação de eventuais focos do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, o Aedes aegypti.

Jornal Midiamax