Cotidiano

Sindicatos da segurança encerram reunião por falta de proposta do Governo

Representantes dos sindicatos que representam servidores da segurança pública deixaram a reunião com a SAD (Secretaria de Administração e Desburocratização) cerca de quinze minutos após o início, na tarde desta quarta-feira (24), devido à falta de proposta do Governo do Estado sobre reajuste salarial e informação de que o funcionalismo terá retirado o abono de […]

Danúbia Burema Publicado em 24/04/2019, às 15h47 - Atualizado em 25/04/2019, às 08h59

Reuniões com sindicatos foram realizadas nesta semana na SAD. Foto. David Majella/Divulgação SAD
Reuniões com sindicatos foram realizadas nesta semana na SAD. Foto. David Majella/Divulgação SAD - Reuniões com sindicatos foram realizadas nesta semana na SAD. Foto. David Majella/Divulgação SAD

Representantes dos sindicatos que representam servidores da segurança pública deixaram a reunião com a SAD (Secretaria de Administração e Desburocratização) cerca de quinze minutos após o início, na tarde desta quarta-feira (24), devido à falta de proposta do Governo do Estado sobre reajuste salarial e informação de que o funcionalismo terá retirado o abono de R$ 200,00.

Eles agora se mobilizam para levar o assunto à Assembleia Legislativa na quinta-feira (25), para discussão com a categoria e não descartam paralisações no setor de segurança pública.

“Foi desastrosa. Não é possível avançar numa reunião onde o Governo não tem proposta”, informou o presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis do Mato Grosso do Sul), Giancarlo Miranda, sobre a decisão das entidades. Cerca de dez entidades estiveram representadas na conversa com o titular da Secretaria de Administração e Desburocratização (SAD), Roberto Hashioka, seu adjunto Édio Viegas, e o Controlador-Geral do Estado, Carlos Eduardo Girão.

Segundo Giancarlo, não houve rodada de negociação, somente exposição por parte do Governo de dados sobre quedas na arrecadação, informação que as entidades rebateram apresentando dados de aumento nas receitas nominais. “A reunião começou 14h15 e 14h30 já encerramos porque não adianta você ficar duas horas escutando lamentações sem proposta para os servidores públicos”, pontuou.

Entre as reclamações feitas pelos servidorses, está o aumento de mais de 16% nos salários do governador, deputados e diversas outras categorias com salários próximos do topo do funcionalismo. “Para isso não houve problema com as finanças. Agora para um abono a quem tem os menores salários do Estado há problemas financeiros”, pontuou o presidente do Sinpol.

A entidade informou que o setor de segurança pública prepara ato a ser realizado às 10h de quinta-feira (25) na Assembleia Legislativa para “chamar os deputados” à discussão sobre reajuste do funcionalismo. A manifestação será encabeçada pelo Fórum de Servidores. Também estão se organizando e não descartam paralisação de atividades. “A gente não vai aceitar perder salário”, pontuou o representante dos policiais civis.

Rodada de negociações

Pela manhã, na primeira reunião do ano com as categorias do funcionalismo, a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) disse ter sido informada pelo Governo que o abono de R$ 200,00 concedido aos trabalhadores em 2016 será retirado.

Por volta das 14h15 teve início nova reunião, com sindicatos que representam os servidores da segurança pública incluindo policiais civis e militares, bombeiros militares, agentes patrimoniais, agentes penitenciários delegados.

Após essa reunião, outra está prevista ainda para essa tarde com servidores do setor agropecuário. Dentre eles o Sigeasfi-MS (Sindicato dos Gestores Estaduais Agropecuários, Agentes Fiscais Agropecuários, Agentes de Serviços Agropecuários e Auxiliares de Serviços Agropecuários de Mato Grosso do Sul).

A SAD não informou se haverá novas rodadas de negociações, ou se a discussão de reajuste com o funcionalismo será feita somente nesta quarta-feira (24).

Jornal Midiamax