Cotidiano

Sindicato de trabalhadores da UFMS também é contra Future-se

O SISTA-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) é contrário a adesão do programa Future-se, criado pelo MEC (Ministério da Educação). De acordo com o sindicato, o projeto é nocivo às universidades e que com a privatização das instituições, o futuro delas ficaria nas mãos de organizações […]

Vinícius Costa Publicado em 17/10/2019, às 16h00

(Foto: Divulgação, Sista-MS)
(Foto: Divulgação, Sista-MS) - (Foto: Divulgação, Sista-MS)

O SISTA-MS (Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) é contrário a adesão do programa Future-se, criado pelo MEC (Ministério da Educação). De acordo com o sindicato, o projeto é nocivo às universidades e que com a privatização das instituições, o futuro delas ficaria nas mãos de organizações sociais.

O abaixo-assinado que foi produzido pelo SISTA-MS deve ser entregue antes do dia 31 de outubro ao reitor da universidade Marcelo Turine. O documento também deve ser enviado ao COUN (Conselho Universitário) e a parlamentares da bancada de Mato Grosso do Sul. O prazo, segundo o sindicato, é referente a data em que acontecerá a reunião do conselho que votará a posição da universidade em relação ao programa.

“Vamos fazer pressão para que a UFMS se some às demais universidades do país e diga não ao projeto Future-se. Se passar esse projeto, pode ser o fim da universidade pública federal de Mato Grosso do Sul”, afirmou a coordenadora geral do SISTA-MS, Cléo Gomes.

O SISTA-MS e demais entidades que representam professores e acadêmicos da UFMS entendem que no atual momento, os esforços devem ser concentrados para garantir a segurança orçamentária das instituições de ensino, que tem recebido violentos cortes e outras ameaças, como se o ensino não fosse nenhuma prioridade neste país.

Jornal Midiamax