Cotidiano

PDV: começa prazo para servidores de MS pedirem demissão voluntária

Os servidores do Governo do Estado têm 30 dias, a contar a partir desta sexta-feira (31) para aderir ao PDV (Programa de Desligamento Voluntário). O decreto que estabelece as regras do Programa foi publicado no Diário Oficial do Estado de hoje. Conforme o Decreto nº 15.233, os servidores interessados devem preencher o requerimento disponível no […]

Daiany Albuquerque Publicado em 31/05/2019, às 07h23 - Atualizado às 12h30

Sede do Governo de Mato Grosso do Sul, no Parque dos Poderes, em Campo Grande. (Midiamax, Arquivo)
Sede do Governo de Mato Grosso do Sul, no Parque dos Poderes, em Campo Grande. (Midiamax, Arquivo) - Sede do Governo de Mato Grosso do Sul, no Parque dos Poderes, em Campo Grande. (Midiamax, Arquivo)

Os servidores do Governo do Estado têm 30 dias, a contar a partir desta sexta-feira (31) para aderir ao PDV (Programa de Desligamento Voluntário). O decreto que estabelece as regras do Programa foi publicado no Diário Oficial do Estado de hoje.

Conforme o Decreto nº 15.233, os servidores interessados devem preencher o requerimento disponível no Portal do Servidor, e protocolar o documento na SAD (Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização).

Os funcionários que podem aderir ao sistema são os que estão em cargos efetivos, integrantes de carreiras da administração pública estadual direta, autárquica e fundacional, até o limite máximo de 15% do quantitativo dos cargos efetivos de cada carreira.

A solicitação também poderá ser feita na unidade de gestão de pessoas que o servidor for vinculado, onde também será possível esclarecer dúvidas relacionadas ao programa.

O Governo do Estado constituirá uma comissão que dará orientação à tramitação dos processos. Após protocolamento do pedido, o Governo dará resposta sobre seu deferimento ou não em 45 dias úteis após a data de encerramento dos pedidos de adesão.

O Programa foi uma maneira que o Governo do Estado encontrou de reduzir os gastos com pessoal, já que a máquina pública tem operado acima do seu limite prudencial.

Jornal Midiamax