Cotidiano

Sem transporte há 1 mês, estudantes e lideranças indígenas fecham MS-156

Há mais de um mês sem transporte para ir até as universidades, acadêmicos e lideranças das aldeias Bororó e Jaguapiru, em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, fecharam a rodovia MS-156 que liga o município a Itaporã, nos dois sentidos, por tempo indeterminado. Segundo o cacique Néco, os manifestantes estão preparados para passar o […]

Ana Paula Chuva Publicado em 01/10/2019, às 09h21 - Atualizado às 19h48

(Renato Giansante, Midiamax)
(Renato Giansante, Midiamax) - (Renato Giansante, Midiamax)

Há mais de um mês sem transporte para ir até as universidades, acadêmicos e lideranças das aldeias Bororó e Jaguapiru, em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, fecharam a rodovia MS-156 que liga o município a Itaporã, nos dois sentidos, por tempo indeterminado.

Segundo o cacique Néco, os manifestantes estão preparados para passar o tempo que for necessário parados na rodovia. “Nós não queremos chamar a atenção das autoridades, nós queremos o ônibus de volta. É um direito nosso assegurado em lei. Nossos universitários já perderam mais de 30 dias de aula, correm o risco de perder o ano. Nós queremos o direito de volta”, disse.

Ainda nesta manhã, segundo os manifestantes, o secretário de educação do Município pediu para eles fossem até o gabinete, mas os indígenas afirmam que vão permanecer no local até garantia da volta do transporte.

Sem transporte há 1 mês, estudantes e lideranças indígenas fecham MS-156
(Renato Giansante, Midiamax)

“Nós já tentamos diálogo com o poder público várias vezes, mas agora cansamos. Eles não disseram o motivo da suspensão. Vamos ficar aqui até o ônibus voltar. Nós queremos a garantia documentada. Estamos aqui para um dia, um mês, um ano se precisar”, afirmou a liderança.

Para o acadêmico de direito, Tiago Fernando, 26 anos, a retirada do transporte fere a Lei Municipal 3.870. “Esse ônibus atende a gente a 4 anos, é uma conquista dos estudantes. Está garantido na lei 3.870. É uma luta justa. Já tínhamos ouvido conversas sobre a parada várias vezes por falta de manutenção no transporte. Estamos perdendo o ano por isso”, explicou.

A rodovia segue fechada nos dois sentidos, no trecho onde fica a entrada das duas aldeias, por tempo indeterminado.

Jornal Midiamax