Cotidiano

Segundo resolução, todos os pacientes que procurarem UPAs devem ser atendidos

Uma resolução, publicada nesta terça-feira (26) no Diário Oficial de Campo Grande, define as normas de atendimento e atribuições de cada servidor dos CRSs (Centros Regionais de Saúde). Na publicação fica definido, por exemplo, que todos os usuários que buscarem o serviço de uma unidade 24h, as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), devem ser atendidos […]

Dândara Genelhú Publicado em 26/11/2019, às 09h29

Foto: Leonardo de França/Jornal Midiamax
Foto: Leonardo de França/Jornal Midiamax - Foto: Leonardo de França/Jornal Midiamax

Uma resolução, publicada nesta terça-feira (26) no Diário Oficial de Campo Grande, define as normas de atendimento e atribuições de cada servidor dos CRSs (Centros Regionais de Saúde). Na publicação fica definido, por exemplo, que todos os usuários que buscarem o serviço de uma unidade 24h, as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), devem ser atendidos pelos servidores.

Nas unidades de atendimento 24h, a prioridade se mantém a pacientes com quadros graves, em especial os que apresentam risco de vida. Os servidores destas unidades também devem prestar os primeiros atendimentos para pacientes que precisarão de cirurgias e, o encaminhamento dos que precisarem de tratamentos em UBSs (Unidades Básicas de Saúde).

Na resolução, fica definido que todos os servidores das redes de saúdes regionais devem garantir a manutenção da segurança do paciente, bem como a identificação dele e o atendimento de excelência. O serviço médico foi dividido em dois setores, assim como os de enfermagem.

Divido em equipe amarela e vermelha, o setor médico deve ser responsável por verificar e manter as condições de atendimento sempre atualizadas. Quando necessário, os servidores deverão convocar mais médicos da equipe de plantão para que executem processos mais complexos.

Os enfermeiros responsáveis pelo acolhimentos da população, devem classificar cada um de acordo com a escala de risco. Todas as salas e consultórios da unidade devem ter pelo menos um profissional disponível e, serem classificadas como adulto ou infantil.

O serviço de odontologia também foi regulamentado na publicação. O atendimento noturno poderá ser estendido, para que não haja interrupção e, os pacientes podem ser encaminhados ao atendimento ambulatorial para dar continuidade ao tratamento.

Os serviços da farmácia, atendimento social e radiológico mantém as funções. Deverão entregar os medicamentos solicitados pelos médicos, notificar casos de violência e realizar radiografias quando autorizadas, respectivamente.

Jornal Midiamax