Cotidiano

Reunião entre Concen e Aneel vai tratar de aumento nas contas de luz em MS

O Concen (Conselho dos Consumidores de Energia da Área de Concessão da Energisa-MS) participa, logo mais às 14h30, em Brasília, de reunião com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)) a fim de investigar as causas do aumento súbito das contas de energia em Mato Grosso do Sul no último mês. Preliminarmente, os dados nacionais […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 08/02/2019, às 12h45 - Atualizado às 13h18

Procon encaminhou pedido de revisão à Aneel. (Divulgação,Aneel)
Procon encaminhou pedido de revisão à Aneel. (Divulgação,Aneel) - Procon encaminhou pedido de revisão à Aneel. (Divulgação,Aneel)

O Concen (Conselho dos Consumidores de Energia da Área de Concessão da Energisa-MS) participa, logo mais às 14h30, em Brasília, de reunião com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)) a fim de investigar as causas do aumento súbito das contas de energia em Mato Grosso do Sul no último mês.

Preliminarmente, os dados nacionais que relacionam o aumento do consumo de energia às altas temperaturas de dezembro explicariam o aumento das contas de energia em Mato Grosso do Sul, estado no qual consumidores reclamaram das contas. Porém, segundo a presidente do Concen, Rosimeire Cecília da Costa, acesso aos dados do Estado poderão proporcionar o melhor entendimento do fenômeno.

“Os números revelam que o problema do aumento do consumo ocorreu em várias outras concessionárias de energia, pois há várias justificativas nesse sentido. Porém, entendemos que a Aneel tem um papel nisso, de esclarecer a sociedade, de forma mais contundente, de todas as faixas de encargos que se alteram por conta do aumento do consumo”, explica.

Além disso, o Concen também solicitará os indicadores do plano de resultado da Energisa, visto que a qualidade do fornecimento do serviço também é pauta do conselho.

“A Energisa de MS têm um plano de melhorias e precisamos conferir se as metas apresentadas foram cumpridas. Assim, também poderemos entender se investimentos impactaram ou não a tarifa. Segundo a concessionária, isso não ocorreu, mas queremos entender melhor o que ocorreu”, conclui.

O que diz a concessionária

As altas temperaturas registradas em dezembro e janeiro são a principal justificativa para o aumento no consumo e na cobrança de energia elétrica. A Energisa explica que foram 5 picos de consumo em dezembro de 2017, sendo que em 2018 foram 13 picos de consumo. Essa diferença equivale ao consumo mensal de uma cidade do porte de Corumbá, com 110 mil habitantes.

Em audiência na Câmara de Campo Grande, a concessionária afirmou que não foram encontrados erros na averiguação do consumo. “De todos os [casos] que averiguamos até o momento, estão todos corretos. Quem se sentir lesado deve procurar concessionária”, disse o representante da empresa, o coordenador comercial Jonas Ortiz.

Jornal Midiamax