Cotidiano

Protesto tenta evitar retirada de último vagão da Orla Ferroviária

Artistas, advogados e ativistas se reuniram na manhã desta quarta-feira (10) em protesto contra aviso de retirada de um dos últimos vagões da Orla Ferroviária, em Campo Grande. Localizado em frente à Morada dos Baís, o local é o único que ainda funciona e a notificação enviada pela Prefeitura chocou a comerciante Luanna Rabelo Peralta, […]

Mylena Rocha Publicado em 10/04/2019, às 09h25 - Atualizado às 16h16

None
Artistas, advogados, professores e ativistas de reuniram em protesto contra aviso de retirada do vagão. (Foto: Marcos Ermínio)

Artistas, advogados e ativistas se reuniram na manhã desta quarta-feira (10) em protesto contra aviso de retirada de um dos últimos vagões da Orla Ferroviária, em Campo Grande. Localizado em frente à Morada dos Baís, o local é o único que ainda funciona e a notificação enviada pela Prefeitura chocou a comerciante Luanna Rabelo Peralta, responsável pelo espaço.

O Larica’s da Lu funciona na Orla há 9 meses e segundo a comerciante e funcionária pública Luanna, de 33 anos, um documento foi entregue às 17h45 da terça-feira (9) e pedia que ela retirasse os pertences do vagão dentro de 12 horas. Ela conta que o papel a deixou em choque e que fará o possível para manter sua lanchonete no lugar.

“É o único vagão que funciona de forma independente, os artistas vêm por conta própria, é um espaço que a gente tenta trazer arte”, explica. O protesto organizado nesta manhã é para ganhar tempo, segundo ela.

Segundo a comerciante, o trailer funciona das 17h às 22h30 e ninguém nunca reclamou. Luanna ressalta ainda que o comércio não abre em dias de programação da Morada dos Baís, tudo para não atrapalhar. “Agora pretendemos nos organizar, ver o caminho legal, temos nossos amigos advogados que podem ajudar”.

O professor de história e filosofia da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), Paulo Edyr Camargo, aponta que cada prefeito tem uma ideia diferente sobre os vagões da Orla, mas que geralmente nenhum quis dar continuidade à revitalização do espaço.

Já o advogado e ativista Mário Fonseca afirma que o poder público falhou na revitalização da Orla. Segundo ele, caso a prefeitura prossiga com a retirada, haverá uma manifestação pacífica para procurar um diálogo. “Faz um tempo que há este boato sobre a retirada do vagão, mas a prefeitura não se mostrou aberta ao diálogo”.

Luanna ainda ressalta que há uma boa convivência também com os moradores de rua que ocupam os outros vagões. Segundo ela, o Larica’s da Lu até foi alvo de uma tentativa de assalto, mas o ladrão foi impedido por um dos moradores.

O Jornal Midiamax entrou em contato com a Prefeitura de Campo Grande, que respondeu em nota que não fará a retirada do vagão. “A Prefeitura vai analisar a questão contratual e, por enquanto, vai manter o vagão”.

Jornal Midiamax