Cotidiano

Primeiro dia de vacinação contra a gripe tem poucas filas e baixa procura

No primeiro dia da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, a procura por imunização contra o vírus da gripe ainda é baixa em Campo Grande. Porém, a expectativa é que já na tarde desta quarta-feira (10) a aplicação de vacinas aumente. A reportagem visitou o CRS (Centro Regional de Saúde) Tiradentes, onde a fila […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 10/04/2019, às 10h54 - Atualizado em 11/04/2019, às 09h31

No Tiradentes, espera foi de no máximo 15 minutos (Foto: Marcos Ermínio | Midiamax)
No Tiradentes, espera foi de no máximo 15 minutos (Foto: Marcos Ermínio | Midiamax) - No Tiradentes, espera foi de no máximo 15 minutos (Foto: Marcos Ermínio | Midiamax)

No primeiro dia da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, a procura por imunização contra o vírus da gripe ainda é baixa em Campo Grande. Porém, a expectativa é que já na tarde desta quarta-feira (10) a aplicação de vacinas aumente.

A reportagem visitou o CRS (Centro Regional de Saúde) Tiradentes, onde a fila de espera pela imunização andou rápido e não houve muito tempo de espera, no máximo de 10 a 15 minutos. No local, havia vários cartazes lembrando aos frequentadores que a campanha já foi iniciada.

Primeiro dia de vacinação contra a gripe tem poucas filas e baixa procura
Segundo Mariah Barros, 219 mil pessoas devem receber a vacina em Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio | Midiamax)

De acordo com a coordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), Mariah Barros, a baixa procura durante a manhã do primeiro dia é esperada devido ao expediente de trabalho, mas deve aumentar à tarde. A coordenadora lembra que até o próximo dia 22, apenas gestantes e crianças até 5 anos, 11 meses e 29 dias receberão a imunização.

“Nosso objetivo é imunizar no mínimo 90% de cada grupo prioritário e em Campo Grande temos vacinas para 219 mil pessoas. A vacinação de gestantes e crianças vai até o dia 22, só após essa data é que os demais grupos poderão procurar os postos”, destaca a coordenadora.

A autônoma Marcelly Gimenez, de 33 anos, foi uma das que aproveitou já o primeiro dia da campanha para imunizar o filho, de 5 meses. Ela afirma que não houve demora no atendimento.

“Vou conscientizar conscientizar meus amigos e familiares para buscarem a vacina e levarem as crianças”, acrescenta.

Primeiro dia de vacinação contra a gripe tem poucas filas e baixa procura
Até o dia 22, apenas gestantes e crianças até 6 anos poderão receber a vacina (Foto: Marcos Ermínio | Midiamax)

Quem pode receber a vacina

Além de gestantes e crianças, a partir do dia 23 de abril poderão procurar a vacina indivíduos com 60 anos ou mais de idade, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), trabalhadores da saúde, professores das escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais.

A imunização prioritária também contempla jovens de 12 a 21 anos de idade que estão sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional.

Onde receber a vacina

Primeiro dia de vacinação contra a gripe tem poucas filas e baixa procura
&* postos de saúde da Capital podem aplicar a imunização (Foto: Marcos Ermínio | Midiamax)

Em Campo Grande, a imunização está disponível nas 78 UBS (Unidades Básicas de Saúde) e UBSF (Unidades Básicas de Saúde da Família). De acordo com a Sesau, a pasta organiza estratégia para intensificar a imunização contra a gripe durante os fins de semana, somente nos CRS (Centros Regionais de Saúde).

Além disso, a Sesau também manterá um “trailer de imunização” na Praça Ary Coelho, dos dias 29 de abril até 5 de maio, durante o horário comercial. Vale lembrar que no dia 4 de maio será o “Dia de Mobilização Nacional – Dia D”.

Vale lembrar que para receber a imunização, é preciso portar o Cartão Nacional de Saúde (Carteirinha do SUS), cédula de identificação e algum documento que comprove o grupo prioritário. De acordo com a SES (Secretaria de Estado de Educação), em 2018 a cobertura vacinal atingiu 92,68% do público alvo – 573.562 pessoas. O número superou a média nacional, que proporcionou imunização de 90,87% desta população.

Jornal Midiamax