Cotidiano

Preso por fabricar haxixe em casa, mestrando de biologia tem bolsa suspensa

Depois de ser encontrado com um laboratório para fabricação de haxixe em casa, o mestrando de biologia preso na última terça-feira (11) teve a bolsa suspensa pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Além disso, Igor Amorim, de 25 anos, continua preso. Segundo informações da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), Igor […]

Mylena Rocha Publicado em 17/06/2019, às 09h44 - Atualizado às 16h22

Foto: Minamar Júnior
Foto: Minamar Júnior - Foto: Minamar Júnior

Depois de ser encontrado com um laboratório para fabricação de haxixe em casa, o mestrando de biologia preso na última terça-feira (11) teve a bolsa suspensa pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul). Além disso, Igor Amorim, de 25 anos, continua preso.

Segundo informações da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), Igor já passou por audiência e foi transferido para o Presídio de Trânsito. O presídio é um estabelecimento de segurança média para presos provisórios, ainda não condenados.

Igor era bolsista pela Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) no mestrado em Biologia Vegetal da UFMS . Com notas exemplares, ele ficou em segundo lugar na seleção de mestrado e ganhava uma bolsa de R$ 1,5 mil desde março deste ano, totalizando três bolsas recebidas pelo valor de R$ 4,5 mil.

Procurada pelo Jornal Midiamax, a UFMS afirmou que o aluno já teve a bolsa suspensa e está sujeito às penalidades do Regulamento Disciplinar Discente. A universidade ressalta que não tem influência no comportamento dos acadêmicos fora do câmpus.

‘Breaking Bad’ no Monte Carlo

Igor Amorim, de 25 anos, foi preso na última terça-feira (11), com um laboratório para produção de drogas em sua casa, no bairro Monte Carlo, em Campo Grande. Denúncias anônimas levaram a polícia até a casa do rapaz, que foi encontrado na esquina fumando cigarro de maconha.

Na casa, em um quarto nos fundos foi encontrado um laboratório rudimentar para a fabricação de haxixe, que segundo ele seria apenas para oferecer aos amigos. Ainda na casa, os policiais encontraram três quilos de maconha, quando Igor disse que era para uso pessoal.

O bolsista disse que começou a fabricar a droga há quatro anos, quando pesquisou na internet como fazer. Ele, então, teria tido a ideia de montar um laboratório em casa e fazer a fabricação do haxixe.

Cortes na Capes

Igor recebia R$ 1,5 mil mensais com bolsa da Capes, que anunciou no início do mês o corte de 2,7 mil bolsas de mestrado, doutorado e pós-doutorado. Os cortes foram destinados a benefícios que ainda seriam concedidos. Com isso, a Capes chega a um corte total de mais de 6 mil bolsas neste ano.

Jornal Midiamax