Cotidiano

Nova sede da Rede Feminina de Combate ao Câncer é inaugurada na Capital

Na manhã desta terça-feira (1º) o Hospital de Câncer de Campo Grande Alfredo Abrão (HCAA) começou a campanha Outubro Rosa, ação nacional que visa estimular o controle do câncer de mama. A entidade  oferece exames gratuitos de mamografia e preventivos para o público feminino entre 45 a 65 anos, assim como a coleta de exames […]

Renata Fontoura Publicado em 01/10/2019, às 12h04 - Atualizado às 12h16

O novo espaço contém lanchonete, bazar e brechó (Foto: Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)
O novo espaço contém lanchonete, bazar e brechó (Foto: Henrique Arakaki, Jornal Midiamax) - O novo espaço contém lanchonete, bazar e brechó (Foto: Henrique Arakaki, Jornal Midiamax)

Na manhã desta terça-feira (1º) o Hospital de Câncer de Campo Grande Alfredo Abrão (HCAA) começou a campanha Outubro Rosa, ação nacional que visa estimular o controle do câncer de mama. A entidade  oferece exames gratuitos de mamografia e preventivos para o público feminino entre 45 a 65 anos, assim como a coleta de exames preventivo (Papanicolaou) para mulheres de 25 a 64 anos até o fim do mês.

No local, a Rede Feminina de Combate ao Câncer inaugura sua nova sede de atendimento. O “espaço rosa”, como é chamado pelo presidente do HCAA, Aldoir Teló, vai melhorar o trabalho das voluntárias e expor os produtos delas em prol de todas as pacientes. Teló também destaca que 60% das quimioterapias que o hospital realiza são para mulheres diagnosticadas com a doença. O setor de mamografia executa 9.600 procedimentos por mês.

Segundo Marilene Rosa Lupatini, vice-presidente da Rede, o novo ambiente é um sonho realizado. O novo espaço é composto dois contêineres cor-de-rosa, localizados no lado de fora do hospital. A área contém uma lanchonete, assim como o bazar e o brechó do grupo, que expõe artesanatos produzidos pelas próprias voluntárias e também turbantes comprados e/ou recebidos de doadores. Todo o dinheiro recebido é revertido para ajudar as pacientes, pois muitas são do interior e não têm condições de arcar com os custos para se manter na Capital.

Marlei Vendas de Oliveira, voluntária da Rede há oito anos esteve presente na ação. A administradora conheceu o grupo de mulheres através de amigas. Em 2015, descobriu um câncer de mama. A notícia foi assustadora, mas fazer parte do voluntariado foi muito importante para o tratamento. “Eu soube como enfrentar a doença e conheci de perto a ansiedade, tristeza e dor que todas enfrentam”, diz. Marlei passou por cirurgia e também realizou quimioterapia e radioterapia. Por ter feito o diagnóstico ainda no início da doença, ela não precisou retirar as mamas e hoje está curada.

O horário de atendimento dos exames é de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 12h às 16h. Para agendar, é necessário levar o RG, CPF e cartão do SUS. O Hospital e a nova sede da Rede Feminina se localizam na rua Marechal Rondon, nº 1053.

Jornal Midiamax