Cotidiano

Moradores do Nova Lima recebem o terceiro ecoponto de Campo Grande

O bairro Nova Lima recebe nesta quinta-feira (7) uma alternativa para o descarte de resíduos que os moradores muitas vezes não sabem para onde destinar: eletrodomésticos, eletroeletrônicos, móveis usados, galhos e entulhos. O ecoponto do Nova Lima é o terceiro a ser inaugurado e mais dois pontos devem ser implantados em Campo Grande. Ainda em […]

Mylena Rocha Publicado em 07/02/2019, às 11h33 - Atualizado às 12h06

Foto: Vinícius Costa
Foto: Vinícius Costa - Foto: Vinícius Costa

O bairro Nova Lima recebe nesta quinta-feira (7) uma alternativa para o descarte de resíduos que os moradores muitas vezes não sabem para onde destinar: eletrodomésticos, eletroeletrônicos, móveis usados, galhos e entulhos. O ecoponto do Nova Lima é o terceiro a ser inaugurado e mais dois pontos devem ser implantados em Campo Grande.

Moradores do Nova Lima recebem o terceiro ecoponto de Campo Grande
Berenice afirma que dois ecopontos ainda devem ser inaugurados. (Foto: Vinícius Costa)

Ainda em 2019, a Prefeitura Municipal de Campo Grande deve inaugurar ecopontos na região do Parque Residencial União e do Centro-Oeste entre os meses de junho e agosto. A diretora-presidente da Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano), Berenice Domingues, explica que a equipe da Agência já foi a comércios, moradias e escolas para conversar com a população e divulgar como funciona o ecoponto. “Esta comunidade foi a que melhor recebeu, de fato será muito útil para eles”, acrescenta.

A presidente da associação de moradores do Vida Nova, Glaucia Ribeiro, de 54 anos, afirma que os moradores do bairro terão educação para saber onde descartar o lixo. “Eles vão ter uma educação que não conheciam no passado. O ecoponto veio para somar na região norte”. Segundo ela, agora os moradores não precisam pagar por uma caçamba, já que é só levar o lixo ao ponto de recolhimento. A moradora ainda acredita que com menos lixo, haverá menos foco de dengue no bairro.

O presidente da Solurb, Elcio Terra, cita que os ecopontos estão disponíveis para receber também os resíduos recicláveis, mesmo que já sejam contemplados pelo serviço de coleta seletiva. Quanto ao descarte dos resíduos levados para o ecoponto, o presidente da empresa explica que RCC (Resíduo da Construção Civil) e RCD (Resíduo de Construção e Demolição) serão levados para tratamento em usinas. Já os resíduos volumosos e ‘inservíveis’ serão encaminhados para o aterro sanitário. Os eletrônicos serão encaminhados para uma associação de recicladores de eletroeletrônicos.

A professora Analice Talgatt, de 48 anos, ressalta que ações pontuais não resolvem e é preciso fazer um trabalho contínuo de educação. “[A pessoa] tem que fazer a parte dela e não jogar lixo na rua. O professor vai ensinar a criança e tem que mostrar na prática como se faz”. Para o secretário da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), Marcelo Vilela, o ecoponto vai ajudar na redução dos resíduos líquidos, que surgem com o derramamento de óleo no descarte incorreto de eletrônicos. “Tem que trazer para cá [ecoponto], que vai ser a destinação correta”.

O ecoponto funciona na Rua Pacajus, n° 194, cruzamento com a Rua Galdino Afonso Vilela, no Bairro Nova Lima. Estará aberto de segunda a sábado, das 8h às 18h, e receberá o descarte de resíduos de pequenos volumes (até 1 metro cúbico por pessoa/dia).

Jornal Midiamax