Cotidiano

Lojistas registram aumento de 11,25% nas vendas durante o PromoCentro

O PromoCentro, que pode ainda ser aproveitado nesta terça-feira (10) pelos consumidores em lojas do centro da cidade, fez com que os lojistas registrassem um aumento médio de 11,25% nas vendas desde que a promoção foi lançada, na última quinta-feira (5). O dado foi passado pela CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) e o número foi […]

Vinícius Costa Publicado em 10/09/2019, às 10h57 - Atualizado às 11h21

(Foto: Henrique Arakaki | Midiamax)
(Foto: Henrique Arakaki | Midiamax) - (Foto: Henrique Arakaki | Midiamax)

O PromoCentro, que pode ainda ser aproveitado nesta terça-feira (10) pelos consumidores em lojas do centro da cidade, fez com que os lojistas registrassem um aumento médio de 11,25% nas vendas desde que a promoção foi lançada, na última quinta-feira (5). O dado foi passado pela CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) e o número foi considerado ótimo, já que “lembrou os velhos tempos”.

Algumas lojas mais conceituadas e magazines conseguiram bater um número maior de vendas chegando a registrar 30% de aumento nas vendas. No ranking de saídas, as peças de vestuário lideraram as vendas, sendo seguidos por eletroeletrônico, perfumaria e calçados.

O presidente da CDL, Adelaido Vila comemorou o sucesso das promoções e atribuiu as vendas nos dois primeiros dias, na quinta e na sexta, onde algumas pessoas já haviam recebidos seus salários, principalmente os servidores. Ele também destacou que até os consumidores que haviam desistido do centro por causa das obras, retornaram para aproveitar os mais variados descontos.

“A quinta e a sexta-feira foram fantásticas para nós. Percebemos um grande movimento no centro, o retorno de muitos clientes que já há algum tempo já não vinha mais ao centro. As grandes lojas de magazines, lojas de departamento tiveram um aumento muito significativo na sua arrecadação”.

Lojistas registram aumento de 11,25% nas vendas durante o PromoCentro
Na visão do presidente da CDL, o desfile acabou “prejudicando” as vendas por causa do fechamento das ruas. (Henrique Arakaki, Midiamax)

Porém, o desfile que aconteceu no sábado (7) e atraiu milhares de pessoas ao centro, na visão de Adelaido, prejudicou as vendas por conta da organização e do fechamento das ruas. “Tivemos uma dor de cabeça significativa no sábado. A forma com que as ruas foram fechadas prejudicou muito a chegada do consumidor a área central. O sábado não foi legal justamente por conta da forma com que foi organizada, essa organização do fechamento no centro deixou muito prejuízo para a promoção. A gente percebeu que muitos consumidores tiveram dificuldades para chegar na 14 de Julho”.

Mesmo com a ‘dor de cabeça’, o presidente da CDL explicou que os dois dias anteriores supriram o imprevisto que aconteceu no feriado. “De modo geral, o resultado não foi ruim e foi muito bom esses dois dias deram um boom de vendas. A gente viu recuperar parte da autoestima que foi abalada, que estava em baixa, vimos as pessoas se animarem”.

A próxima promoção organizada pela CDL deve acontecer em novembro com o ‘Black’, mas ainda está em fase de estudos, onde deverá acontecer reuniões com a Prefeitura de Campo Grande para tratar de assuntos como a organização. Entretanto, a promoção é questionada por estar próxima as vendas do final do ano.

Obras terminando

Uma das datas mais aguardadas pelos comerciantes da Rua 14 de Julho está entrando em contagem regressiva. No dia 29 de novembro está previsto a entrega das obras do Reviva Centro e, com a “inauguração” da rua acontecendo próximo as festas de final de ano, a decoração de Natal também já está sendo planejada.

Adelaido Vila afirmou que com a entrega do Reviva Centro e o novo cenário para os lojistas, pode ser um “empurrão” nas vendas do natal que devem superar o índice dos três últimos anos.

Jornal Midiamax