Justiça condena Sanesul a corrigir danos ambientais em Três Lagoas

A Sanesul tem 180 dias para corrigir danos ambientais verificados no lançamento e depósito de parte do esgoto não tratado, no córrego onça e rio Paraná, em Três Lagoas, a 326 km de Campo Grande. A juíza Aline Beatriz de Oliveira Lacerda, condenou a empresa a desenvolver medidas migratórias para conter o odor fétido nas […]
| 20/03/2019
- 18:21
Justiça condena Sanesul a corrigir danos ambientais em Três Lagoas

A Sanesul tem 180 dias para corrigir danos ambientais verificados no lançamento e depósito de parte do esgoto não tratado, no córrego onça e rio Paraná, em Três Lagoas, a 326 km de Campo Grande.

A juíza Aline Beatriz de Oliveira Lacerda, condenou a empresa a desenvolver medidas migratórias para conter o odor fétido nas ETE (Estações de Tratamento de Esgoto). Ainda conforme a decisão, a Sanesul terá de apresentar um projeto ambiental de controle de odor e comprovar a execução do mesmo, mediante ao parecer de técnicos e perícia. Também consta que a empresa deve promover o tratamento adequado do esgoto seguindo os níveis permitidos pela legislação ambiental.

Caso não cumpra as medidas, a Sanesul poderá pagar multa de R$ 100 mil a cada mês. O promotor de justiça que ajuizou a ação civil pública contra a Sanesul, Antônio Carlos Garcia de Oliveira, informou que há diversos laudos apontando que o trabalho de limpeza do esgoto não está sendo realizado corretamente.

Ainda conforme o promotor, desde 2003, a Sanesul não possui licença de operação para usar o sistema de esgoto. Há também ligações clandestinas sem redes de águas pluviais no município.

Veja também

A situação piorou: agora a dívida é por itens básicos da alimentação.

Últimas notícias