Cotidiano

Governo não explica porque lago do Parque das Nações secou de novo

A Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) ainda não se posicionou a respeito do esvaziamento do lago do Parque das Nações Indígenas. Desde o domingo (17), a reportagem do Jornal Midiamax tenta contato com o secretario Jaime Verruk para saber o que motivou a diminuição da água, mas ele não deu retorno até o […]

Ana Palma Publicado em 18/11/2019, às 10h55 - Atualizado em 19/11/2019, às 08h36

Lago volta a ficar com pouca água. (Marcos Ermínio, Midiamax)
Lago volta a ficar com pouca água. (Marcos Ermínio, Midiamax) - Lago volta a ficar com pouca água. (Marcos Ermínio, Midiamax)

A Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente) ainda não se posicionou a respeito do esvaziamento do lago do Parque das Nações Indígenas. Desde o domingo (17), a reportagem do Jornal Midiamax tenta contato com o secretario Jaime Verruk para saber o que motivou a diminuição da água, mas ele não deu retorno até o momento.

As obras no lago  do Parque, em Campo Grande, acabaram em outubro, um dia antes do feriado prolongado e começou a ser cheio, com previsão de completar a água até o dia 11 do mês passado. Mas, pouco mais de 30 dias depois o lago, um dos principais cartões postais da Capital, voltou a esvaziar e a terra toma conta do local.

Quando foi reaberto, no mês passado, o secretário da Semagro, Jaime Verruck, comentou que os gabiões para conter o assoreamento ainda não tinham sido substituídos e que deveria acontecer entre 60 ou 90 dias, prazo em que a licitação para construção dos gabiões deve ficar pronta.

Jornal Midiamax