Cotidiano

Galeria: Com duração de pouco mais de 1h, eclipse leva campo-grandenses para a rua

Vários campo-grandenses compareceram na rotatória do estádio Morenão, na tarde desta terça-feira (2), para acompanhar o eclipse solar que pode ser visto de Campo Grande. O eclise durou 1 hora e levou o pessoal para a rua. Campo Grande foi a segunda capital brasileira com melhor visibilidade do fenômeno. Na capital sul-mato-grossense foi possível ver […]

Mariane Chianezi Publicado em 02/07/2019, às 17h33 - Atualizado em 03/07/2019, às 08h38

None
Foto: Leonardo de França | Jornal Midiamax

Vários campo-grandenses compareceram na rotatória do estádio Morenão, na tarde desta terça-feira (2), para acompanhar o eclipse solar que pode ser visto de Campo Grande. O eclise durou 1 hora e levou o pessoal para a rua.

Campo Grande foi a segunda capital brasileira com melhor visibilidade do fenômeno. Na capital sul-mato-grossense foi possível ver 47% do eclipse solar, enquanto em Porto Alegre (RS), melhor capital a ver o evento, teve 57% de visibilidade. Curitiba (PR) foi a terceira com melhor vista do fenômeno, com 43%.

O Clube de Astronomia Carl Sagan, participou da observação. “O eclipse solar é um fenômeno que acontece mais ou menos a cada 18 meses. É quando a Lua, durante sua órbita ao redor da Terra, passa em frente ao sol – bloqueando temporariamente a luz solar e escurecendo o dia por alguns minutos. Durante o eclipse, podemos acompanhar a sombra da Lua aparecendo em frente a estrela”, traz publicação nas redes sociais do clube.

Eclipse solar

O eclipse solar pode ser de três tipos: total (quando a lua encobre totalmente a luz solar), parcial (apenas uma parte da iluminação é encoberta pela lua) e anelar (quando a distância entre os astros faz a lua parar na frente do sol, mas encobre apenas o centro, formando um anel de luz em torno da lua.

O evento desta está sendo chamado de “Eclipse Solar Sul-Americano”, por que se estenderá pelo Pacífico Sul, começando no Chile e encerrando na Argentina. Apenas esses dois países conseguirão ter a visão total do fenômeno, entretanto um eclipse parcial também será visível no Uruguai, Paraguai, Equador e Brasil.

Aqui, apenas a região Nordeste não conseguirá ver o eclipse, pois o evento começará em um horário em que já estará escuro naquela região.

Jornal Midiamax