Cotidiano

Força-tarefa recolhe três toneladas de potenciais criadouros de dengue

Uma força-tarefa de combate ao mosquito da dengue foi realizada neste fim de semana e inspecionou 2,8mil imóveis e recolheu mais de três toneladas de potenciais criadouros do mosquito Aedes Aegypti nos bairros Paulo Coelho Machado e Mário Covas, em Campo Grande. Mais de 60 agentes de combate a endemias foram envolvidos na ação e […]

Mylena Rocha Publicado em 01/04/2019, às 08h41

Ilustrativa| PMCG
Ilustrativa| PMCG - Ilustrativa| PMCG

Uma força-tarefa de combate ao mosquito da dengue foi realizada neste fim de semana e inspecionou 2,8mil imóveis e recolheu mais de três toneladas de potenciais criadouros do mosquito Aedes Aegypti nos bairros Paulo Coelho Machado e Mário Covas, em Campo Grande. Mais de 60 agentes de combate a endemias foram envolvidos na ação e contou com o apoio da Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos).

Relatório do CCEV (Coordenadoria de Controle de Endemias Vetoriais) aponta que foram inspecionados 2.898 imóveis que foram abertos com a ajuda de um chaveiro e foram eliminados 52 focos do mosquito transmissor de dengue, zika e chikungunya.

Foram recolhidos 2,7 mil materiais que serviriam para acúmulo de água parada, somando três toneladas. O trabalho conta com o apoio do setor de Educação em Saúde da coordenadoria que desde o início da semana percorreu os locais de uso comum da região, além de missas e cultos, fazendo o trabalho de orientação aos moradores a fim de conscientizar sobre a importância da prevenção.

Epidemia

Campo Grande já soma mais de 15 mil notificações de casos suspeitos de dengue, conforme o boletim epidemiológico apresentado pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) na semana passada. Até o dia 26 de março, a Capital contou com 15.118 casos suspeitos.

Os números divulgados sugerem possível desaceleração no avanço da epidemia de dengue no município. A Sesau interpreta o relatório como pequeno recuo nos casos, reflexo das ações de combate a focos do mosquito Aedes aegypti, intensificadas nas últimas semanas.

Apesar do aumento linear, os números projetam provável desaceleração no avanço da epidemia: até o dia 26, os casos investigados foram incrementados com 2.127 notificações. Porém, na semana anterior (12 a 19 de março), foram 2.348 notificações, o que representa uma redução de pouco mais de 220 casos.

(Colaborou Guilherme Cavalcante)

Jornal Midiamax