Cotidiano

Faltam materiais nas UBS de Campo Grande e pacientes ficam sem atendimento

Usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) reclamam da falta de materiais em UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da Capital. O técnico em enfermagem João Francisco Ribeiro de Aquino, de 60 anos, fez um tour pelas unidades com o pai, Francisco Ribeiro de Aquino, de 91 anos, que precisa retirar uma sonda, 10 dias após […]

Cleber Rabelo Publicado em 22/04/2019, às 18h23 - Atualizado em 23/04/2019, às 08h49

Foto: Ilustrativa
Foto: Ilustrativa - Foto: Ilustrativa

Usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) reclamam da falta de materiais em UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da Capital.

O técnico em enfermagem João Francisco Ribeiro de Aquino, de 60 anos, fez um tour pelas unidades com o pai, Francisco Ribeiro de Aquino, de 91 anos, que precisa retirar uma sonda, 10 dias após uma cirurgia na próstata. O técnico procurou 3 unidades de saúde e afirma que o pai não foi atendido por falta de materiais para realizar os procedimentos.

“Primeiro eu levei ele ao UBS do Jockey Club, lá disseram que não tinham bisturi, em seguida, fui à UPA Leblon e me informaram que, por se tratar de uma unidade 24 horas, não realizavam o procedimento. Por fim, cheguei aqui na UBS Dona Neta e estão empurrando a responsabilidade para os outros”, reclama.

Por nota, a assessoria de imprensa da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), informou que esse tipo de procedimento é feito na Atenção Básica, não havendo necessidade de o paciente procurar uma unidade de urgência.

“Neste caso, provavelmente, a lâmina especifica necessária para realização do mesmo, estava em falta nas unidades procuradas.  Diante desta situação, a SESAU, por meio da unidade básica da área de cobertura do paciente, entrará em contato com os familiares para melhor orientar e agendar o atendimento.”

Faltou luvas descartáveis

Em outro caso, na UBSF (Unidade Básica de Saúde da Família) do Maria Aparecida Pedrossian, uma paciente reclamou da falta de luvas descartáveis na sala do dentista.

“Fui ao dentista agora pela manhã, com canal aberto, com dor e nada pôde ser feito porque o dentista não tinha luvas. Os médicos estão sem material adequado para os procedimentos e muitos estão comprando do bolso. É um absurdo isso”, reclama.

A Sesau informou que a unidade básica deve fazer o atendimento ‘básico’ e o encaminhamento para a realização do procedimento de canal, deve ser feito em um CEO (Cento de Especialidades Odontológicas), portanto, o atendimento não poderia ser feito na unidade.”

Ainda segundo a secretaria de saúde, em relação à falta de materiais citados, a informação é de que houve um desabastecimento pontual, mas todos os materiais, como luvas e jalecos, por exemplo, já foram repostos e não há falta generalizada na rede.”

Jornal Midiamax