Cotidiano

Estado inicia cascalhamento de trecho da MS-228 no Pantanal

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul retomou a obra de implantação e cascalhamento do trecho de 40 quilômetros da MS-228, entre o trevo com a MS-184 (Curva do Leque) e a fazenda Alegria, em Corumbá. O investimento com recursos do Fundersul integra o programa estadual de interligação da região pantaneira por rodovias […]

Renan Nucci Publicado em 21/04/2019, às 16h00 - Atualizado às 16h19

Boiada cruza trecho da MS-228 que recebe cascalhamento: estrada garantirá acesso ao Pantanal o ano todo. (Foto: Edemir Rodrigues)
Boiada cruza trecho da MS-228 que recebe cascalhamento: estrada garantirá acesso ao Pantanal o ano todo. (Foto: Edemir Rodrigues) - Boiada cruza trecho da MS-228 que recebe cascalhamento: estrada garantirá acesso ao Pantanal o ano todo. (Foto: Edemir Rodrigues)

O Governo do Estado de Mato Grosso do Sul retomou a obra de implantação e cascalhamento do trecho de 40 quilômetros da MS-228, entre o trevo com a MS-184 (Curva do Leque) e a fazenda Alegria, em Corumbá. O investimento com recursos do Fundersul integra o programa estadual de interligação da região pantaneira por rodovias e ponte.

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) executou 18 desvios no entorno de pontes de madeira de vazantes para a passagem dos caminhões com cargas de 20 toneladas de resíduos de minério de ferro. A obra foi necessária para preservar as pontes, que tem capacidade para 15 toneladas, e evitar acidentes.

O serviço na MS-228 ganhou ritmo forte com a entrada em operação de uma balsa de maior dimensão para a travessia do Rio Paraguai, no Porto da Manga. A balsa atual, que atende a todos os usuários da via, transporta apenas um caminhão com 10 toneladas por vez, e a nova, suporta um volume cinco vezes maior.

Além desse trecho da MS-228, o Governo do Estado concluiu a implantação de 18,8 km da mesma rodovia, entre a Vazante do Castelo e a fazenda Imaculada (entroncamento com a MS-427), entre Aquidauana e Corumbá. Também foram implantados com aterro 34 km da MS-423, da Serra da Alegria (Rio Verde) a fazenda Morrinho (Corumbá). Outra frente de obra já executou 25% dos 65 km das MS-228 e MS-423, entre as fazendas Picapau e Conceição, em Corumbá.

Com informações de Silvio Andrade, da assessoria de imprensa

Jornal Midiamax