Cotidiano

Jovem aguarda doação de sangue para avançar tratamento contra leucemia

Diagnosticada com leucemia e entubada no Hospital da Unimed, a jovem Ana Karolina Chida, 22 anos está precisando de forma urgente, receber doações de sangue do tipo A+ (positivo) para prosseguir no seu tratamento contra a doença. Najara Larissa, 30 anos, conta que sua irmã deu entrada no hospital na madrugada de sexta-feira (29) com […]

Vinícius Costa Publicado em 31/03/2019, às 20h02 - Atualizado em 01/04/2019, às 14h56

(Foto: Reprodução/Facebook)
(Foto: Reprodução/Facebook) - (Foto: Reprodução/Facebook)

Diagnosticada com leucemia e entubada no Hospital da Unimed, a jovem Ana Karolina Chida, 22 anos está precisando de forma urgente, receber doações de sangue do tipo A+ (positivo) para prosseguir no seu tratamento contra a doença.

Najara Larissa, 30 anos, conta que sua irmã deu entrada no hospital na madrugada de sexta-feira (29) com uma tosse e alguns sintomas de gripe, mas conforme o passar das horas, o estado de saúde de Ana Karolina agravou. “No primeiro exame, falaram em anemia forte. Mas em outra hora, me chamaram e disseram que tinha dado positivo para leucemia, mas que iriam repetir. Repetiram e deu negativo, e aí fizeram todos os exames restantes e confirmaram que era leucemia”.

Sem identificar qual o grau da leucemia, a irmã da jovem pede para que as doações venham o mais rápido possível. “Enquanto não sair o resultado sobre qual é a leucemia, ela não pode ser tratada e eles vão estar mantendo ela com plaqueta e sangue para que a imunidade possar segurar até o resultado sair”, explicou a estagiária na área de pedagogia.

A irmã explica que desde de outubro ela vinha tratando da doença, mas ninguém soube identificar, porém em conversa com um hematologista, foi afirmado que os sintomas que a jovem vinha tendo, nenhum especialista conseguiria identificar a leucemia.

Na quarta-feira, conforme Najara afirma, os médicos poderão identificar o tipo de leucemia que está presente na jovem de 22 anos. Recebendo as doações de sangue, ela terá que ser curada de uma infecção e assim poderá dar início ao tratamento.

Para quem quiser doar o sangue e ajudar a Ana Karolina, basta ir no Hemosul ou na Santa Casa de Campo Grande, fazer a doação e pedir para encaminhar para o Hospital da Unimed.

Jornal Midiamax