Cotidiano

Capital tem entregue 10ª escola reformada com mão de obra prisional

 Décima unidade educacional de Campo Grande a receber reforma com mão de obra de detentos, a Escola Estadual Teotônio Vilela, no bairro Universitário II, recebe na tarde desta segunda-feira (08) a entrega dos trabalhos, em solenidade com a presença do governador Reinaldo Azambuja, do juiz Albino Coimbra Neto, idealizador do Projeto Pintando e Revitalizando a […]

Danúbia Burema Publicado em 08/04/2019, às 16h31 - Atualizado às 16h33

Governador entregou reforma da escola estadual na tarde desta segunda-feira (08). Foto. Daiany Albuquerque
Governador entregou reforma da escola estadual na tarde desta segunda-feira (08). Foto. Daiany Albuquerque - Governador entregou reforma da escola estadual na tarde desta segunda-feira (08). Foto. Daiany Albuquerque

Décima unidade educacional de Campo Grande a receber reforma com mão de obra de detentos, a Escola Estadual Teotônio Vilela, no bairro Universitário II, recebe na tarde desta segunda-feira (08) a entrega dos trabalhos, em solenidade com a presença do governador Reinaldo Azambuja, do juiz Albino Coimbra Neto, idealizador do Projeto Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade, e do presidente do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), desembargador Paschoal Carmello Leandro.

“É um programa que envolve a ressocialização, a maioria da mão de obra é de detentos do semiaberto. Ressocializa e diminui o custo do poder público”, destacou o governador Reinaldo no início da solenidade. Com dez escolas reformadas na Capital, ele adiantou que pretende ampliar os trabalhos para o interior do Estado.

Entre as vantagens apontadas pelo governador estão o custo mais baixo e a chance de detentos aprenderem um ofício. “Permite trazer eles de volta à sociedade com uma profissão”, enfatizou. Conforme o governador, a economia na reforma das dez escolas contempladas pelo projeto soma R$ 7 milhões.

Para o juiz Albino Coimbra, da 2ª Vara de Execuções Penais de Campo Grande, a iniciativa auxilia em duas áreas importantes. “Junta o sistema prisional e educação pública para melhoria das duas áreas”, declarou. “Com isso o Estado economiza muito já que todo o material que aqui é utilizado para a reforma é comprado pelos próprios presos, eles pagam um percentual disso”, completou.

Entrega

Participaram da solenidade de hoje secretários, deputados e vereadores, além da secretária de Estado de Educação, Maria Cecília Amêndola da Motta. Na escola, as obras foram iniciadas em 2018 e incluíram a reforma dos banheiros, pintura e fechamento de alambrado da quadra, piso de granilite, readequação da rede elétrica, modernização da iluminação e manutenção da pintura geral da escola.

Jornal Midiamax