Cotidiano

Cadeirante fica presa em porta de Fórum e assiste audiência do lado de fora

Uma cadeirante de 56 anos foi impedida de entrar em sala de audiência, após estrutura de porta não permitir que a cadeira de rodas da moradora passasse. O fato aconteceu na última sexta-feira (6), na Vara Cível de Dourados, 225 km de Campo Grande. “O lugar onde deveria dar exemplo de acessibilidade, me fez passar […]

Mariane Chianezi Publicado em 09/12/2019, às 14h52 - Atualizado em 10/12/2019, às 09h01

Foto: Divulgação/WhatsApp Midiamax
Foto: Divulgação/WhatsApp Midiamax - Foto: Divulgação/WhatsApp Midiamax

Uma cadeirante de 56 anos foi impedida de entrar em sala de audiência, após estrutura de porta não permitir que a cadeira de rodas da moradora passasse. O fato aconteceu na última sexta-feira (6), na Vara Cível de Dourados, 225 km de Campo Grande. “O lugar onde deveria dar exemplo de acessibilidade, me fez passar por situação constrangedora”, disse a aposentada ao Jornal Midiamax.

Antes de passar pelo constrangimento na sala da audiência, a moradora por pouco não conseguiu entrar em elevador. “A minha advogada [drª Jaqueline Pinheiro Siqueira Maia] pediu para que eu chegasse mais cedo no Fórum e de cara já tive dificuldades com o elevador. No primeiro que fui, a cadeira não passou. No segundo passou na marra”, disse.

Quando enfim conseguiu chegar até a sala onde a audiência aconteceria, a aposentada se surpreendeu com mais um empecilho dentro do Fórum. “Já passei por situações constrangedoras em bancos, vagas de estacionamento, mercados, mas não esperava que aconteceria na Justiça. A minha cadeira não passou e eu precisei assistir a audiência presa na porta”, pontuou.

Por fim, a aposentada disse que vai buscar os seus direitos perante a Justiça e aconselhou as pessoas com deficiência a também não aceitarem passar por essas situações. “Só quem é deficiente sabe o que a gente passa. Muito se fala em acessibilidade, mas na prática é tudo diferente. Vou processar”, afirmou.

A advogada da moradora, Jovenilda Bezerra Felix, adiantou que reunirá as provas para mover uma ação de danos morais devido a todo constrangimento sofrido pela cliente. “Nós estamos revoltados com tudo isso. A OAB de Dourados já está ciente do ocorrido e vamos mover um processo”, afirmou a reportagem.

O Midiamax entrou em contato com a assessoria de imprensa do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e foi informada que a situação não chegou ao conhecimento da secretaria do Fórum e que será apurada. A assessoria ainda explicou que uma situação semelhante aconteceu há alguns anos atrás e após o ocorrido, uma sala no térreo teve reforma na porta para ser destinada exclusivamente para cadeirantes.

Jornal Midiamax