Cotidiano

Baiano: empresário de MS que morreu em MG ajudou a fundar colégio e presidiu Funlec

A história do empresário Antonio Farias Santos, que faleceu na última segunda-feira (14), guarda relatos de um espírito empreendedor e construções relevantes em Mato Grosso do Sul. Também conhecido como “Antônio Baiano”, ele morreu em um acidente de carro na BR-381, próximo a Bela Vista de Minas, no Estado de Minas Gerais. Nascido em 12 […]

Guilherme Cavalcante Publicado em 15/10/2019, às 09h20 - Atualizado às 13h29

Foto: Reprodução | Facebook
Foto: Reprodução | Facebook - Foto: Reprodução | Facebook

A história do empresário Antonio Farias Santos, que faleceu na última segunda-feira (14), guarda relatos de um espírito empreendedor e construções relevantes em Mato Grosso do Sul. Também conhecido como “Antônio Baiano”, ele morreu em um acidente de carro na BR-381, próximo a Bela Vista de Minas, no Estado de Minas Gerais.

Nascido em 12 de abril de 1954, na cidade baiana de Ibicaraí, Santos tinha 65 e era veterinário de formação. Mas, foi no ramo de corretagem de imóveis que o empresário conquistou visibilidade. Santos também era membro ativo da loja maçônica Raul Sanz de Matos, em Campo Grande.

Santos era conhecido pelo empenho em suas atividades. Durante seis anos, presidiu a Funlec (Fundação Lowtons de Educação e Cultura), sendo responsável pela fundação dos Colégios Oswaldo Tognini, Maria Rita e Eduardo Santos Pereira, na Capital, além da Escola Ana Maria do Nascimento, em Aparecida do Taboado. Baiano também foi responsável pela criação do Cedesc (Centro de desenvolvimento Social e Cultural).

Entre empreendimentos dos quais teve participação, estão a construção do Hotel Exceler, na Avenida Afonso Pena, em Campo Grande, e também do loteamento Terras do Golfe.

Antonio Farias Santos era casado com a senhora Roseli Giordano Farias Santos. Além da esposa, ele deixa três filhos – Marco Antônio, Gustavo e Filipe Giordano Farias Santos – e sete netos. As informações sobre velório e sepultamento serão atualizadas nesta matéria tão logo a família fornecer as informações.

Jornal Midiamax