Cotidiano

Após postar vídeo na rede social, PMA autua piloteiro em R$ 1,9 mil por pesca predatória

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Miranda autuou um rapaz em R$ 1.900 por praticar crime de pesca predatória. A situação chegou até a Polícia por meio de um vídeo postado nas redes sociais. Eram três pessoas em uma embarcação no rio Miranda, apenas um foi encontrado e os outros pescadores serão localizados e autuados […]

Ana Palma Publicado em 23/09/2019, às 13h51

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução) - (Foto: Reprodução)

A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Miranda autuou um rapaz em R$ 1.900 por praticar crime de pesca predatória. A situação chegou até a Polícia por meio de um vídeo postado nas redes sociais. Eram três pessoas em uma embarcação no rio Miranda, apenas um foi encontrado e os outros pescadores serão localizados e autuados também no mesmo valor.

Na filmagem, um detalhava que tinham 41 peixes da espécie piavuçu e os mostrava diante a câmera. Utilizando as imagens e os detalhes, a PMA localizou a área onde fora executada a pescaria ilegal e identificou o piloteiro do grupo que falava. O infrator (40), residente em Miranda, foi localizado e assumiu a prática da pesca e informou que os outros dois pescadores que estavam na embarcação eram turistas do estado de São Paulo.

Para verificação do ato de pesca predatória, a PMA considerou, no mínimo, o peso médio de 1 kg por exemplar de peixe capturado, obtendo um total de 41 kg de pescado, portanto, acima da cota permitida que é de 5 kg mais um exemplar e cinco piranhas por pescador.

Em resumo, os três pescadores poderiam ter matado em torno de 18 kg daquela espécie de pescado, o que daria pelos cálculos metodológicos utilizados, apenas 18 exemplares.

Além do valor da multa, os autuados responderão também por crime ambiental de pesca predatória. Se condenados pelo crime ambiental poderão pegar pena de um a três anos de detenção.

Jornal Midiamax