Funcionários da empreiteira responsável pelo de tapa buracos em Campo Grande foram flagrados realizando serviço em meio a chuva, na Rua Eduardo Santos Pereira com a Rua Brasil na tarde desta quinta-feira (27) e gerou questionamentos acerca da qualidade do serviço.

A reportagem do Jornal Midiamax foi local e flagrou maquinários, caminhão com material asfáltico e cerca de 10 funcionários que trabalhavam em meio a chuva que caia, por volta das 16h. No entanto, a empreiteira garantiu que naquele momento, os serviços eram realizados para garantir a segurança dos motoristas.

“O tapa buracos não é recomendado a fazer na chuva, mas isso acontece porque quando a gente começa a frisar o asfalto [cortar os buracos] a gente tem que tapá-los de qualquer maneira. A gente faz o serviço, mesmo sabendo que não vai durar, mas é necessário para que o buraco não fique exposto e possa causar acidentes mais graves. A melhor solução é aplicar a massa e voltar no outro dia”, disse Marco Menegazzo, diretor da Engepar a reportagem.

Além disso, não havia sinalização das obras na proximidades e fluxo de carros que seguiam pela Rua Eduardo Santos Pereira precisavam frear “em cima” dos funcionários.

Carlos Alberto Pereira, especialista em trânsito, esclareceu que realizar obras nas vias enquanto chove é muito perigoso aos pedestres e motoristas, pois é necessário um cuidado muito maior.

“Pode colocar em risco a circulação dos veículos. Devem ter sinalização adequada, considerando que na chuva há uma redução na luminosidade e devesse ter placas indicativas a alguns metros do local onde está sendo realizado os serviços”, disse o professor.

Sobre as sinalizações nas obras de tapa buraco, o diretor esclareceu que em todas as operações há sinalizações simples, com cones e cavaletes, como prevê a licitação. Informação seria apurada pela empreiteira.

A Prefeitura Municipal esclareceu, por meio de nota, que os trabalhos naquela via estavam sendo finalizados e serviço não havia sido comprometido com a chuva.

“A equipe não sai com as ordens de serviços durantes as chuvas. No período da manhã estava sem chuva e os serviços estavam sendo intensificados. Com as chuvas os trabalhos param e são retomados com o tempo seco. Normalmente isto acontece quando começa a chover depois que a equipe sai da usina com a massa que só pode ser usada no mesmo dia em que foi produzida” diz prefeitura.

O material é aplicado no buraco e, caso remendo não fique consolidado, equipe retorna no outro dia e operação é refeita, segundo a prefeitura, sem nenhum custo aos cofres públicos.

Confira as imagens: