Cotidiano

Policiais sofrem em delegacia sucateada enquanto presos têm até climatizador nas celas

De acordo com a denúncia publicada nas redes sociais do Sinpol, o problema na unidade é crônico e se estende há mais de 15 anos.

Guilherme Cavalcante Publicado em 03/05/2018, às 11h14 - Atualizado às 11h54

única delegacia da cidade teria virado mini-presídio em Sidrolãndia (Reprodução/Street View)
única delegacia da cidade teria virado mini-presídio em Sidrolãndia (Reprodução/Street View) - única delegacia da cidade teria virado mini-presídio em Sidrolãndia (Reprodução/Street View)

Caixa d’água com vazamentos, problemas nos condicionadores de ar, pouco efetivo, policiais atuando como agente penitenciários. Esses são alguns dos problemas apontados pelo Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis do Mato Grosso do Sul) na Delegacia de Polícia de Sidrolândia, a 73 km de Campo Grande, e que estariam “travando” o andamento de investigações na unidade.

De acordo com a denúncia publicada nas redes sociais do sindicato, o problema na unidade é crônico e se estende há mais de 15 anos. “Se olharmos o pátio, as celas, o cartórios, vamos ver que são espaços já deteriorados, que precisam de reforma e melhoria, ou pelo menos uma ajuda emergencial”, comenta o presidente da entidade Giancarlo Miranda.

O sindicalista também afirma que a falta de efetivo e o desvio de função a que policiais civis são submetidos resulta na lentidão das investigações. “Temos um policial no plantão, dois na investigação e um escrivão, apenas. Nessa delegacia, temos 500 inquéritos em andamento que não vão para frente por falta de efetivo. E para piorar, os policiais precisam fazer o trabalho de carcereiros”, denuncia.

"Sinpol denuncia" em Sidrolândia

O "Sinpol denuncia" esteve na delegacia de Sidrolândia e constatou a falta de estrutura do local para os policiais, enquanto há "mordomias" para os presos. #polícia #segurançapública #sidrolândia

Posted by Sinpol – MS on Thursday, May 3, 2018

Delegacia que “virou” presídio

Segundo o Sinpol, há cerca de 20 presos na delegacia que deveriam já ter sido transferidos da unidade para algum presídio do Estado, mas que permanecem na delegacia mesmo após o prazo legal de 30 dias – alguns deles, estão há mais de um ano na unidade. “E isso já melhoroou… Há alguns anos, havia presos que cumpriam regime semiaberto naquela delegacia. Isso foi algo que já conseguimos mudar”, aponta.

No vídeo, o presidente do Sinpol também aponta o contraste das condições de trabalho dos policiais com o “conforto” dispensado às celas, que por determinação do Conselho de Segurança, foram adaptadas com climatizadores, televisores e até geladeira. “Não é essa a finalidade de uma delegacia. Passado o prazo, eles precisam ser conduzidos para presídios”, conclui.

A reportagem acionou a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul e pediu posicionamento acerca dos problemas indentificados pelo sindicado na DP de Sidrolândia. Não tivemos resposta até a publicação desta matéria.

Jornal Midiamax