Sindicato de cargas e transportes de MS emite nota sobre greve dos caminhoneiros

O Setlog-MS (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de Mato Grosso do Sul) emitiu uma nota na noite desta quarta-feira (23) a respeito da greve dos caminhoneiros por causa dos constantes aumentos dos combustíveis no País. Desde o último sábado (19), a Petrobras elevou o preço do diesel em 0,80% e o […]
| 24/05/2018
- 00:51
Sindicato de cargas e transportes de MS emite nota sobre greve dos caminhoneiros

O Setlog-MS (Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de Mato Grosso do Sul) emitiu uma nota na noite desta quarta-feira (23) a respeito da por causa dos constantes aumentos dos combustíveis no País.

Desde o último sábado (19), a Petrobras elevou o preço do diesel em 0,80% e o da gasolina em 1,34% nas refinarias. Este foi o quinto reajuste seguido na última semana e, com isso, o preço da gasolina sobe em 1,80% e o do diesel em 0,95%.

No acumulado, a gasolina subiu em 6,98% e do diesel em 5,98%. Mesmo ficando a critério dos postos, repassar o reajuste do aumento nas bombas, o valor da média nacional da gasolina deverá ficar em 4,257, de acordo com ANP. (Foto: Marcos Ermínio)

 

Leia a nota

Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística de Mato Grosso do Sul (SETLOG MS) vem por meio desta esclarecer sua posição sobre o movimento/ paralisação com data agendada para o dia 21/05/2018.

 

– A sociedade tem sido prejudicada com a política de reajuste de combustível da Petrobras.

 

– Nós cidadãos estamos pagando através do alto custo dos combustíveis em virtude dos escândalos de desvios de verbas acontecidos na Petrobras.

 

– Apoiamos o movimento de paralisação pacífico dos caminhoneiros autônomos, mas repudiamos qualquer tipo de atitude que implique no direito de ir de vir do cidadão.

 

– Considerando o cenário atual a qual estamos passando pedimos a todos os empresários do setor de transporte rodoviário do Estado de Mato Grosso do Sul que a partir do dia 21 deixem seus veículos nas garagens evitando assim transtornos nas estradas. Reiteramos que a nossa posição é de apoio sem bloqueio de rodovias.

 

– A atual política de precificação da Petrobras não reflete os preços praticados no mercado internacional, e após inúmeras reuniões com representantes do Governo e da Petrobras não nos resta opção que não seja o apoio a paralisação dos caminhoneiros.

 

Esperamos que o Governo atenda a essa justa reivindicação e que Deus nos ajude.

Veja também

Até agora o Estado já confirmou 10 infecções da doença, que entrou no radar de alerta do setor de saúde

Últimas notícias