Cotidiano

Projeto Verão: sem milagres, confira 5 dicas de aliados no emagrecimento

É hora de colocar os planos de Ano Novo em ação – ou pelo menos tentar

Mariana Lopes Publicado em 09/01/2018, às 14h40

None

É hora de colocar os planos de Ano Novo em ação – ou pelo menos tentar

Início de ano sempre é tempo de traçar metas e novos projetos. E também é o momento da velha promessa de deixar para trás o sedentarismo e começar uma dieta. Quem nunca garantiu que ‘este ano’abandonaria os velhos hábitos e investiria em uma vida mais saudável?!

Para muitas pessoas a rotina começa a voltar ao normal só na segunda semana de janeiro. Então é a hora exata para colocar os planos em ação – ou pelo menos tentar. Por outro lado, a balança aponta o resultado das comilanças típicas de final de ano e o calendário alerta que no Brasil ainda é Verão.

Neste contexto todo, quem acaba com uma demanda bem alta são os nutricionistas, que nesta época são bastante requisitados. Mas o problema é quando este profissional é confundido como milagreiro.

“Os resultados nem sempre são rápidos e fáceis de serem alcançados. E quando são, podem esconder danos à saúde e ainda promoverem o efeito sanfona”, alerta a nutricionista esportiva funcional Daniele Neves.

Mas nem tudo está perdido. A reportagem do JornalMidiamax foi atrás de algumas dicas, não para apresentar um milagre instantâneo, mas para ajudar a obter resultados. Conversamos com a nutricionista esportiva funcional Daniele Neves, que destacou aspectos importantes em uma dieta.

Confira:

1 – Metabolismo lento

Estamos acostumados a escutar a frase: “não consigo emagrecer, porque meu metabolismo está lento”. Segundo a nutricionista, esta constatação, de certa forma, é verdade. “Existem vários fatores que influenciam no metabolismo, dificultando o emagrecimento”, afirma.

E para que as pessoas possam jogar no mesmo time que o seu organismo, Daniele aponta dois fatores que influenciam no metabolismo: o sono e a ingestão de água.

2 – Sono

Segundo a nutricionista, não dormir bem ou dormir pouco alteram índices hormonais, como cortisol, GH, testosterona, insulina, entre outros. Consequentemente aumentam os níveis de estresse, ansiedade, inflamações e retenção de líquido.

“É natural que, nesses casos, o indivíduo passe a comer menos, o que piora o estado geral. A solução nestes casos é ter uma alimentação equilibrada, aliada a hábitos saudáveis, como uma boa noite de sono. Uma dica importante é diminuir o ritmo quando começar a anoitecer e se prepare para dormir”, comenta.

3 – Beba água

Ingerir água traz diversos benefícios à saúde. Uma das principais funções do líquido no organismo é auxiliar na digestão. Por  isso, a nutricionista é enfática: “Tome bastante água, se hidrate”, diz.

4 – Chás

O consumo de chás e infusões é uma alternativa para auxiliar o emagrecimento, de acordo com a nutricionista. “Alguns são diuréticos e ajudam a eliminar toxinas e desinchar”, explica. E ela ainda dá a dica de quais são os seus queridinhos: chá verde, espinheira santa, gengibre, cavalinha, hibisco e erva-doce.

Sobre o uso de medicamento, Daniele alerta que deve ser feito somente em casos de doenças crônicas relacionados a sobrepeso ou obesidade e acompanhado por um médico especialista.

5 – Rotina

Ter uma rotina organizada, segundo a nutricionista, é primordial para quem quer manter o foco. “Planeje-se e organize o que irá comer durante a semana. E também tenha hábitos saudáveis, rotina de exercício e atividade física”, pontua Daniele.

E para não cair em tentações, a nutricionista ressalta que é importante ter em casa alimentos saudáveis, além de aprender a dizer não. “Se tem o desejo de emagrecer, não se renda a prazeres momentâneos. Escute os sinais que seu corpo da quando for se alimentar, não coma por ansiedade e sim quando tiver fome”, destaca.

Cuidado

Pela internet, o que não falta são dietas que prometem eliminar muitos quilos em poucos dias. O que é o sonho de consumo de muita gente, não é mesmo!?

Mas a nutricionista adverte que os danos podem não compensar tanto assim. “As dietas malucas muitas vezes são restritas tanto em relação ao valor nutricional quanto em relação ao valor calórico, ou seja, são pobres em nutrientes como vitaminas, minerais, proteínas, carboidratos e até mesmo em gordura boa”, comenta.

Segundo Daniele, a falta de nutrientes pode ocasionar alterações como dores frequentes, dor de cabeça ou no corpo, alteração da função intestinal como constipação ou diarreia, queda da imunidade, dificuldade em relaxar, sonolência, desânimo, entre outros.

“O ideal é um plano adequado, uma dieta específica de acordo com o que seu corpo necessita para que tenha um bom resultado e isso é individual”, enfatiza a nutricionista.

Jornal Midiamax