Cotidiano

Professores da Reme participam de curso para auxiliar alunos com deficiência visual

Professores auxiliares da Reme (Rede Municipal de Educação) que atendem estudantes com baixa visão ou cegueira participaram nesta terça-feira (5) de um minicurso realizado no Centro de Formação Lúdio Martins Coelho e que teve como objetivo qualificar os profissionais quanto ao trabalho com estes alunos em sala de aula. Ao todo, 60 professores da Rede […]

Diego Alves Publicado em 05/06/2018, às 18h59

None

Professores auxiliares da Reme (Rede Municipal de Educação) que atendem estudantes com baixa visão ou cegueira participaram nesta terça-feira (5) de um minicurso realizado no Centro de Formação Lúdio Martins Coelho e que teve como objetivo qualificar os profissionais quanto ao trabalho com estes alunos em sala de aula.

Ao todo, 60 professores da Rede foram contemplados. Eles atendem 28 alunos cegos e 48 com baixa visão. Todos são acompanhados pelos técnicos da Secretaria de Educação.

Os temas do curso abrangeram desde a orientação, adaptação de materiais, adequação de atividades até o conteúdo a ser trabalhado com a criança e o que é mais importante, como estimular o aluno dentro de sua limitação visual.

De acordo com Maria Carvalho, técnica da deficiência visual da Semed, o resultado da capacitação dos professores vai melhorar o atendimento educacional e pedagógico, de entendimento e do avanço do aluno cognitivamente em sala de aula.

“Estes alunos são tão capazes quanto os demais que não possuem deficiência. A criança com deficiência visual tem os sentidos muito mais avançados do que as demais”, disse a técnica.

Para a professora Sirlene Gonçalves, que trabalha com crianças especiais há nove anos na escola municipal Antonio Lopes Lins, comenta a importância do curso para seu trabalho dentro da unidade escolar.

“É uma capacitação que no cotidiano vou usar com minha aluna. O curso vai me auxiliar e possibilitar a troca de experiências com as colegas”, enfatizou.

A professora Lenira Ferreira, da escola Arlindo Lima, localizada na região central da cidade, trabalha há quatro anos com alunos que tem deficiência visual e ressalta a importância do curso para sua atividade profissional.

“O interessante é a troca de experiência. Essa troca faz com que a gente aprenda cada vez mais, principalmente na deficiência visual onde os materiais tem que ser adaptados. A gente aprende varias técnicas e formas de apresentar esse material para os alunos”, finaliza Lenira.

Assessoria

Jornal Midiamax