Cotidiano

AGORA: PRF e Forças Armadas desocupam ponto de manifestação no Posto Locatelli

Os caminhoneiros que fazem manifestação no posto Locatelli, em Campo Grande, já começam a desocupar o pátio do local. Os trabalhadores afirma que querem voltar para a estrada e acionaram a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e as Forças Armadas para ajudar a desbloquear o pátio do posto.

Mylena Rocha Publicado em 30/05/2018, às 09h41 - Atualizado às 09h44

A PRF ajuda na desocupação do pátio do posto. (Foto: Marcos Ermínio)
A PRF ajuda na desocupação do pátio do posto. (Foto: Marcos Ermínio) - A PRF ajuda na desocupação do pátio do posto. (Foto: Marcos Ermínio)

Os caminhoneiros que faziam manifestação no posto Locatelli, na BR-163 em Campo Grande, já começam a desocupar o pátio do local. Os trabalhadores afirmam que querem voltar para a estrada e acionaram a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e as Forças Armadas para ajudar a desbloquear o pátio do posto.

Segundo os caminhoneiros, o medo de sofrer represálias pelo fim da greve é um sentimento comum entre os manifestantes. Enquanto o pátio do Posto Locatelli começa a ser desocupado, muitos ainda permanecem por medo de serem atacados em outros pontos de manifestação espalhados pelo estado.

AGORA: PRF e Forças Armadas desocupam ponto de manifestação no Posto Locatelli
Assim como a PRF, as Forças Armadas também foram acionadas pelos caminhoneiros. (Foto: Marcos Ermínio)

Apesar da desmobilização, Mato Grosso do Sul ainda tem 54 pontos de manifestação: 19 nas rodovias federais e 35 nas rodovias estaduais. Entre os pontos, a paralisação em Dourados é o motivo para que os caminhoneiros aguardem no pátio e não voltem para as estradas. Um caminhoneiro, que não quis se identificar, afirma que Dourados o movimento ainda resiste e há medo de ataques.

O movimento dos caminhoneiros autônomos é centralizado em grupos de Whatsapp. Sem um comando de greve, a confusão é comum entre os trabalhadores.

Jornal Midiamax