Cotidiano

Prefeitura estima prejuízo de R$ 20 mil após furto de mais de 2 km de fiação

Mais de 7.300 metros de fiação foram furtados

Raiane Carneiro Publicado em 31/01/2018, às 16h37

None

Mais de 7.300 metros de fiação foram furtados

Trechos das avenidas Eduardo Elias Zahran, Fenando Correa da Costa, da rua Plutão e da Praça dos Imigrantes estão sem iluminação pública devido ao furto de 7.300 metros de fiação subterrânea, que se estendiam por 2,4 quilômetros. A prefeitura informou, nesta quarta-feira (31), que além da escuridão que atinge os moradores, os furtos geraram um prejuízo de R$ 20 mil aos cofres públicos.

Segundo o Município, o valor se refere a reposição do material roubado, que acaba sendo revendido para receptadores, juntamente com a mão de obra para reinstalar a fiação.

Sobre a quantidade dos cabos furtados, a prefeitura informou que foram levados 3 mil metros de fios da rua Plutão 2 mil da Zahran; 2 mil metros da Fernando Correa da Costa e 300 metros da Praça dos Imigrantes.

No caso da Fernando Correa da Costa, toda a ação foi registrada por câmeras de monitoramento. Já na Avenida Zahran, foram duas ocorrências, sempre realizadas aos finais de semana durante a madrugada.

Nas avenidas José Barbosa Rodrigues, Ernesto Geisel, onde foram registrados furtos de cabeamento, a fiação subterrânea foi substituída por cabos aéreos por dificultarem a ação de bandidos.

Outra alternativa, segundo a prefeitura, seria aumentar de 40 centímetros para 1 metro a valeta onde a fiação é implantada, o que reduz em torno de 40% seu tempo de vida.

Registro policial

O Município informou que todos os furtos geram boletins de ocorrência para desencadear um processo de investigação da polícia. Em setembro de 2017, foram recuperados 70 metros fiação que havia sido furtado de um trecho da Avenida Professores José Barbosa Rodrigues.Prefeitura estima prejuízo de R$ 20 mil após furto de mais de 2 km de fiação

No segundo semestre, a prefeitura gastou R$ 140 mil na compra de fios para restabelecer a iluminação em praças como as do bairro Guanandi e do Jardim dos Novos Estados.

Jornal Midiamax