Cotidiano

Prefeito sanciona lei e eleições de diretores devem ocorrer até o fim do ano

Comissão eleitoral vai analisar e ditar os trâmites do pleito

Richelieu Pereira Publicado em 15/06/2018, às 12h56 - Atualizado às 12h59

None

O prefeito Marquinhos Trad (PSD) sancionou, nesta sexta-feira (15), a lei que institui eleições diretas para diretores e adjuntos de escolas e Ceinfs (Centros de Educação Infantil) da rede municipal de ensino de Campo Grande. Com isso, uma comissão eleitoral será formada para que seja realizado o pleito entre novembro e dezembro.

Segundo a secretária de Educação, Elza Fernandes Ortelhado, as eleições ocorrem primeiro nas 95 escolas da Capital para eleger os diretores pelos próximos três anos, que devem tomar posse em janeiro de 2019. A escolha para o comando dos Ceinfs através do voto direto ocorre apenas ao fim do triênio.

“Acreditamos que representa uma melhoria para a educação, para nós da educação é um divisor de águas, a partir de agora a comunidade escolher o diretor”, discursou Elza durante a solenidade de sanção nesta sexta-feira (15), na sede da ACP (Sindicato Campo-Grandense dos Profissionais da Educação Pública).

De acordo com a lei, poderão se candidatar ao cargo somente professores da educação efetivos e com qualificação para assumir a responsabilidade.

“O cargo de diretor é um cargo extremamente qualificado e de competência técnica, afinal de contas ele vai direcionar o conteúdo programático e influenciar na vida de muitas crianças que estão sob seus cuidados. Nós vamos democratizar o debate determinando que só podem ser candidatos a esse cargo professores da educação efetivos e com qualificação”, afirmou Marquinhos Trad ao sancionar a lei.

Para o presidente da ACP, Lucílio Souza Nobre a sanção da lei representa o fortalecimento da democracia dentro das escolas. “A eleição de diretores representa o fortalecimento da democracia na participação dos segmentos da escola na escolha do seu representante, do seu gestor escolar. Outro fator é a segurança para esse diretor que a partir do advento da eleição ele pode desenvolver seu projeto no período de três anos, com aval dos segmentos que acompanha a unidade escolar”, declarou.

Jornal Midiamax