Cotidiano

PM é acionada em tumulto por causa de vacina em UBS de Campo Grande

Os moradores que procuraram a UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bairro Silvia Regina para vacinar os filhos na tarde desta sexta-feira (31), dia em que a Campanha de Vacinação contra a poliomielite e sarampo se encerra, se depararam com tumulto. A Capital está com cobertura vacinal de apenas 52%, divulgou prefeitura. Com pouco mais […]

Mariane Chianezi Publicado em 31/08/2018, às 17h06 - Atualizado às 17h51

Foto: Évelin Cáceres
Foto: Évelin Cáceres - Foto: Évelin Cáceres

Os moradores que procuraram a UBS (Unidade Básica de Saúde) do Bairro Silvia Regina para vacinar os filhos na tarde desta sexta-feira (31), dia em que a Campanha de Vacinação contra a poliomielite e sarampo se encerra, se depararam com tumulto. A Capital está com cobertura vacinal de apenas 52%, divulgou prefeitura.

Com pouco mais de meia hora para se encerrar o expediente no posto, senhas se esgotaram para vacinação e moradores se revoltaram.

Uma funcionária afirmou que não iria mais vacinar as crianças e ao saber que os responsáveis chamariam a Polícia Militar, afirmou “pode chamar quem quiser, a prefeitura mandou fechar”, disse, a respeito do fim do expediente.

A PM e a Guarda Municipal chegaram ao local por volta das 17h para conter os ânimos. Mesmo com unidade fechando as portas, cinco mães ainda aguardavam pela vacinação em frente à UBS.

Neste sábado (1), haverá novo Dia D de vacinação, em cinco unidades: Centros Regionais de Saúde (CRS) Nova Bahia, Tiradentes, Aero Rancho, Coophavila e UBS 26 de agosto. Por tanto, para os pais e responsáveis que não conseguiram vacinar os filhos, poderão levar as crianças para serem imunes nessas unidades.

Posicionamento

A reportagem entrou em contato com a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) onde informou que as senhas foram distribuídas às 16h para atender às demandas e explicou que, conforme a resolução n.378, de 9 de março de 2018, publicada no Diário Oficial no dia 12 de março de 2018, página 6, “as salas de vacinação das unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF) funcionam de segunda a sexta-feira (exceto feriados) das 7h15 às 11h e das 13h às 16h45 e as equipes de vacinação podem distribuir senhas para organizar o fluxo nas unidades”.

E ainda esclareceu que o horário de funcionamento especial é para os profissionais organizarem a sala de vacinação e no final do expediente diário, contabilizar as doses aplicadas para controle. Todos os pais e responsáveis que receberam as senhas às 16h seriam atendidos, mesmo que o atendimento extrapolasse o horário normal previsto.

*Matéria atualizada às 17h45 para acréscimo de informação

Apenas 52% vacinados

Na última segunda-feira (27) foi divulgado pela Prefeitura Municipal que apenas 52% do público-alvo da Campanha de Vacinação conta a poliomielite e sarampo haviam sido vacinadas. Índice considerado baixo, pois a meta, até o final da campanha, nesta sexta-feira (31), deveria ser de 95%.

Na quinta-feira (30) o Ministério da Saúde emitiu nota relatando que Mato Grosso do Sul está com percentual de vacinação considerado baixo. Com 73% de cobertura vacinal, MS está entre as 11 cidades com cobertura a baixo da média.

A solução, segundo o Ministério da Saúde, seria os gestores das cidades organizarem outra mobilização vacinal, após o final da campanha, para conseguir vacinar todas as crianças de 12 meses a 5 anos de idade.

Novo Dia D

Neste sábado (1), os municípios de Mato Grosso do Sul farão um segundo dia D da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo. Como apenas 70% do público-alvo aderiu à vacinação, o novo dia D tem como objetivo atingir a meta recomendada pelo Ministério da Saúde, que é a cobertura vacinal de 95% das crianças de até cinco anos de MS.

Em Mato Grosso do Sul, foram vacinadas 109 mil crianças, 70% do total de 158.083. A meta é vacinar pelo menos 150 mil, de forma homogênea, para evitar a manutenção ou formação de bolsões de não vacinados

Jornal Midiamax