Cotidiano

Pedindo pelo mesmo reajuste dos professores, servidores técnicos fazem paralisação no interior

Cerca de 350 servidores do setor técnico-administrativo de Dourados, 226 km de Campo Grande, se reuniram na Praça Antônio João para reivindicar os mesmos reajustes oferecidos aos professores da cidade. A data base para o reajuste seria abril e categoria aponta atraso. Conforme o Dourados News, nesta segunda-feira (18), um ofício foi protocolado ao Governo, […]

Mariane Chianezi Publicado em 19/06/2018, às 15h01

Foto: Vinícius Araujo/Dourados News
Foto: Vinícius Araujo/Dourados News - Foto: Vinícius Araujo/Dourados News

Cerca de 350 servidores do setor técnico-administrativo de Dourados, 226 km de Campo Grande, se reuniram na Praça Antônio João para reivindicar os mesmos reajustes oferecidos aos professores da cidade. A data base para o reajuste seria abril e categoria aponta atraso.

Conforme o Dourados News, nesta segunda-feira (18), um ofício foi protocolado ao Governo, onde ficou tratado o comprometimento da gestão em pagar no próximo mês de julho o salário dos educadores já com o reajuste deste ano, sendo 6,81%. Do total, 2,68% teriam sido antecipados em abril.

O secretário municipal de educação, Upiran Gonçalves comentou que, apenas os professores foram contemplados com o reajuste, infringindo a exigência do sindicato que seria: “sem os técnicos administrativos, as unidades educacionais não funcionam”, devendo ser linearmente beneficiados.

“Vai ser dessa forma, então paciência. O sindicato quer, mas querer é bem diferente de poder, e nesse momento não é possível aplicar linearmente o benefício a todos os servidores e sim, apenas aos beneficiários mediante a legislação”, pontuou o secretário.

Manifestação

Com faixas reivindicando e muito barulho, o grupo pedia que a prefeita Délia Razuk (PR) desse um posicionamento e “valorizasse a educação”. Enquanto a maioria seguia pela avenida, outro grupo preparado distribuía panfletos com informativos financeiros da Prefeitura de Dourados.

No boletim os trabalhadores questionam o saldo positivo de R$16.156.324,26 milhões da educação que não foram repassados para o serviço.

Ofício

A Prefeitura Municipal de Dourados teria enviado uma proposta de acordo salarial à categoria na última sexta-feira (15), mas o ofício chegou às mãos do sindicato apenas na segunda-feira (18).

No documento a prefeitura se compromete a iniciar a aplicação da diferença de 4,13% relativo ao 6,81% do piso salarial dos professores de 2018, ainda completando o retroativo a abril. Os pagamentos já serão regularizados no salário de julho.

Em relação à defasagem do ano passado, quando os 7,65% relativos ao piso de 2017 não foram aplicados na folha, a regularização será discutida em reunião a ser agendada para o segundo quadrimestre do ano, com previsão para setembro.

Nesta segunda-feira (18), a partir das 14h30, o Simted realizará uma assembleia para discutir a proposta junto com os servidores. Pode ocorrer uma nova paralisação, mas ainda sem previsão de instaurar greve.

As aulas em mais de 80 unidades educacionais foram interrompidas durante o ato desta terça-feira.

Jornal Midiamax