Cotidiano

VÍDEO: Confira oito coisas que irritam os usuários na Capital

Falta de educação é uma das principais queixas

Wendy Tonhati Publicado em 25/04/2018, às 09h02 - Atualizado em 26/04/2018, às 12h04

None

Quem utiliza o transporte coletivo em Campo Grande tem uma longa lista de reclamações e de problemas enfrentados diariamente. As queixas começam sempre pelo valor, que para a maioria, é caro e não condiz com a qualidade do serviço prestado e passa pela falta de veículos e corte de linhas pelo Consórcio Guaicurus.

Essas são algumas das situações que são sempre notícias, mas, dessa vez, o Jornal Midiamax foi às ruas para ouvir sobre os pequenos problemas que mais irritam quem utiliza as linhas de ônibus na cidade.

VÍDEO: Confira oito coisas que irritam os usuários na Capital1. Empurra-empurra

“Falta de respeito, falta fazer uma fila. É aquele empurra-empurra. Nos ônibus, os mais jovens querem ser os primeiros a sentar. Não dão lugar para as mães com bebês e para os mais idosos. Os alunos não pagam [tarifa] e querem ser sempre os primeiros e sentar”, Lucila Matzenbacher.

2. Demora de uma hora

“O ônibus demora muito para passar. Esse que eu vou pegar, por exemplo, a linha 490, que vai Nova Campo Grande, passa 9h20 e só vai passar de novo 10h20. Tem que ficar acompanhando pelo aplicativo”, Priscila Lopes, que está há 3 meses em Campo Grande.

3. Explicar para o patrão os atrasos

“Os atrasos! Eu dependo de ônibus para ir ao serviço e, agora, por exemplo, estava ali [no monitor de horários] 9h20 e às vezes, não passa 9h20, passa mais tarde. Dificulta tudo. Eu faço integração e o ônibus demora. Não tem como falar todo dia para o patrão que foi o ônibus, mas, realmente é o ônibus. Vou fazer o quê? ”, Simone Barreto.

4. Mochila

“Algumas pessoas não tiram as mochilas das costas, mesmo quando o ônibus está cheio. Atrapalha a passagem, ocupa mais espaço e até bate nas pessoas com força. No terminal, já vi uma criança ser atingida por uma mochila e ficar chorando”, usuário que preferiu não se identificar.

5. Bom exemplo com a mochila

“Se tiver vazio, eu coloco nas costas, mas, se estiver muito cheio, eu coloco entre as pernas, vai de cada pessoa. Agora, se [o ônibus] está cheio, e o transporte está molhado, eu tenho que colocar no ombro e fico até com dor”, Aline Villalba.

6. Abriu a porteira

“É muito demorado é a minha reclamação. Nos terminais é mais bagunçado. Abriu a porta, abriu a porteira e saí todo mundo empurrado. Nos pontos dos bairros não tem muito empurra-empurra”, Roberto Medeiros.

7. DJ dos ônibus

“As pessoas não têm educação. Não sabem o limite delas. Colocam o som alto, como se estivessem na casa delas e você tem a obrigação de escutar. Eu acho que você tem que saber e respeitar o próximo, que está ao seu lado”, Anésia Mendonça.

8. Cada um no seu quadrado

“Tem pessoas, especialmente os homens, que sentam com as pernas abertas, ocupando e esbarrando nos outros. É uma falta de educação. Tem pessoas que também ocupam um lugar com bolsas e sacolas”, usuário anônimo.

Jornal Midiamax