Cotidiano

Monumento da Maria Fumaça será inaugurado na Orla Ferroviária com show ao vivo

A Orla Ferroviária receberá, neste feriado de 11 de outubro, a primeira etapa da requalificação em Campo Grande. Para o evento é esperado uma apresentação ao vivo de Almir Sáter e Geraldo Espíndola. A obra acontecerá em parceria da Prefeitura Municipal, por meio da Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano) e da […]

Mariane Chianezi Publicado em 05/10/2018, às 18h02

Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal
Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal - Foto: Divulgação/Prefeitura Municipal

A Orla Ferroviária receberá, neste feriado de 11 de outubro, a primeira etapa da requalificação em Campo Grande. Para o evento é esperado uma apresentação ao vivo de Almir Sáter e Geraldo Espíndola.

A obra acontecerá em parceria da Prefeitura Municipal, por meio da Planurb (Agência Municipal de Meio Ambiente e Planejamento Urbano) e da Sectur (Secretaria Municipal de Cultura e Turismo) com empresas privadas. Na primeira etapa será inaugurado o monumento da Maria Fumaça, que tem 5 metros de altura, 20 de comprimento e 20 toneladas.

O monumento ficará suspenso em um balanço para dar a impressão de que levantará voo. A obra também terá um totem contendo um QRCode para que os moradores possam acessar as informações sobre a Maria Fumaça.

A revitalização da obra da Orla Ferroviária ainda terá paisagismo, lixeiras instaladas, containers para a Guarda Municipal e, por fim, o Jardim Japonês será realizado pela Colônia Japonesa.

Demais etapas

Para as outras etapas está sendo concluído convênio com o BID (Banco Internacional do Desenvolvimento). O BID já aprovou o primeiro passo, a concepção da ideia.

No projeto completo, a Orla Ferroviária passará por uma requalificação geral que mudará completamente sua estrutura. O espaço vai receber bicicletários, totens com QRCode, wifi livre (já está funcionando), equipamentos esportivos e intergeracinais, playground e habitações de interesse social. O projeto da Orla Ferroviária vai da Avenida Mato Grosso até a Afonso Pena, e também da Avenida Calógeras, entre as ruas 7 de Setembro e Antônia Maria Coelho.

A ideia é que o projeto mude completamente a cara do local, trazendo mais segurança, de modo que as pessoas passem a ocupá-lo definitivamente.

“A Orla é uma das grandes reclamações que a gente tem tido desde que iniciou a gestão do prefeito Marquinhos. Reclamação de uso indevido dos quiosques que estavam lá. De as pessoas não poderem se apropriar daquele espaço de forma a utilizá-lo como um local de lazer. Por isso, esse projeto”, diz Berenice Jacob, diretora-presidente.

As secretarias vão oferecer informações e serviços. Por exemplo, a Secretaria de Assistência Social vai ter um grupo para fazer o trabalho com a população em situação de rua. Então ela vai ter psicólogos, assistentes sociais que vai ofertar os serviços.

O projeto já está em andamento. A primeira parte será entregue agora neste dia 11 de outubro, às 19 horas.

Jornal Midiamax