Cotidiano

Minerworld nega roubo no Paraguai: ‘clientes retiraram máquinas em pagamento’

De acordo com comunicado enviado aos afiliados e clientes, a empresa distingue o episódio de roubo e se negou a detalhar a ocorrência.

Guilherme Cavalcante Publicado em 08/06/2018, às 13h30 - Atualizado em 10/06/2018, às 10h49

(Foto: Minerworld | Divulgação)
(Foto: Minerworld | Divulgação) - (Foto: Minerworld | Divulgação)

A empresa Minerworld negou na tarde desta sexta-feira (8) que tenha sido invadida e roubada por ex-clientes na sede da mineradora Minertech, em Hernandárias, no Paraguai. De acordo com comunicado enviado aos afiliados e clientes, a empresa distingue o episódio de roubo.

“A empresa em momento algum afirmou que as máquinas haviam sido furtadas ou roubadas das dependências da Mineradora, mas, sim, que clientes haviam se aproveitado da fragilidade da empresa para retirada de máquinas em pagamento por seus créditos, que foi realizada com o acompanhamento de autoridades Paraguaias”, traz a nota.

Minerworld nega roubo no Paraguai: 'clientes retiraram máquinas em pagamento'
(Foto: Reprodução)

Todavia, nos autos, a empresa omite a suposta participação de autoridades paraguaias e não considera o trecho “clientes da Requerida, se aproveitaram da situação de fragilidade da empresa e surpreenderam os funcionários” como invasão; assim como o trecho “os ditos ‘afiliados’ conseguiram se apoderar de várias máquinas” como roubo.

A empresa não forneceu registro policial, bem como não esclareceu quais autoridades paraguaias teriam participado do episódio. O Jornal Midiamax pediu à Minerworld mais informações sobre a ocorrência, mas, por meio da assessoria de imprensa, foi afirmado que a empresa não fornecerá minúcias. “A empresa não detalhará o fato. Cabe ao MP [Ministério Público] após a apresentação da petição requerer tal detalhamento.

Minerworld nega roubo no Paraguai: 'clientes retiraram máquinas em pagamento'
Reprodução da manifestação da empresa no processo (Foto: Reprodução)

Confira a nota na íntegra:

COMUNICADO

Prezados afiliados e clientes,

Informamos que, nesta quarta-feira (06/07), a assessoria jurídica da empresa protocolou novas informações nos autos da Ação Coletiva de Consumo movida pelo Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul.

Buscando resguardar o patrimônio da empresa e coibir comportamentos que possam comprometer o pleno funcionamento da mineradora da Minerworld, instalada em Hernandarias, a diretoria da empresa realizou a retirada das máquinas do galpão de mineração para realocá-las em outro local e informará posteriormente ao MP e ao Juízo o novo endereço.

Dessa forma, a empresa busca minimizar os prejuízos causados pela retirada de máquinas, além de assegurar esse ativo para o pagamento de todos os afiliados.

Faz-se necessário destacar que a empresa em momento algum afirmou que as máquinas haviam sido furtadas ou roubadas das dependências da Mineradora, mas, sim, que clientes haviam se aproveitado da fragilidade da empresa para retirada de máquinas em pagamento por seus créditos, que foi realizada com o acompanhamento de autoridades Paraguaias.

Com relação aos eventuais boatos e informações não oficiais que estão circulando constantemente afirmando que a retirada das máquinas foi um “golpe”, salientamos que buscaremos as medidas judiciais cabíveis para a responsabilização dos que repassaram estas informações distorcidas e criminosas que buscam gerar ainda mais temor na rede de afiliados da Minerworld.

Todos esses documentos estão abertos para consulta pública nos autos do processo nº 0900185-73.2018.8.12.0001
Assessoria Jurídica Minerworld.

Jornal Midiamax