Cotidiano

Hemosul faz campanha para doação de sangue em Corumbá

Nos dias 8 e 9 de junho, o Hemosul promove campanha de doação de sangue e também busca doadores de medula óssea em Corumbá. Tanto a coleta quanto o cadastro serão feitos no Núcleo Hemoterápico da cidade. As doações de sangue podem ser realizadas por pessoas de 16 a 65 anos de idade. No entanto, […]

Mariana Lopes Publicado em 03/06/2018, às 21h03

Estoques entraram em estado de emergência(Foto: Divulgação)
Estoques entraram em estado de emergência(Foto: Divulgação) - Estoques entraram em estado de emergência(Foto: Divulgação)

Nos dias 8 e 9 de junho, o Hemosul promove campanha de doação de sangue e também busca doadores de medula óssea em Corumbá. Tanto a coleta quanto o cadastro serão feitos no Núcleo Hemoterápico da cidade.

As doações de sangue podem ser realizadas por pessoas de 16 a 65 anos de idade. No entanto, se for a primeira vez, a idade limite é 60 anos. Adolescentes de 16 e 17 anos que pretendem doar sangue, precisam de autorização do responsável.

O doador deverá apresentar obrigatoriamente documento oficial com foto e menores de idade não podem ser doadores de medula.

Alimentação

É importante que o doador esteja bem alimentado, não fazendo jejum antes da coleta que tem duração média de 10 minutos.

Após o almoço, é necessário esperar cerca de duas horas para efetuar a doação de sangue. A quantidade coletada é de 450 ml e amostras de sangue para os exames obrigatórios por lei. Todo material utilizado é individual e descartável. O doador deve pesar ao menos 50 quilos.

Medula

De acordo com a Rede Hemosul, para doar sangue para medula, os voluntários precisam ter entre 18 e 55 anos. Na ocasião, são retirados 5ml de sangue, como um exame de laboratório, e o doador é cadastrado no REDOME – Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea do INCA – Instituto Nacional do Câncer. Os dados genéticos são cruzados com os dos pacientes que precisam da medula. Se der compatibilidade genética através do exame HLA, a doação pode ser realizada.

Se for compatível, o doador de medula é avisado e então passa por exames para constatar que está em boas condições de saúde. O procedimento dura aproximadamente 90 minutos e é aplicada uma anestesia para que o processo seja sem dor. As células de medula são tiradas do osso da bacia e não da espinha, portanto, não tem risco para a coluna. Do outro lado, o paciente tem a sua medula doente destruída e recebe as células de medula saudável do doador. A parte da medula retirada do doador se recupera sozinha em no máximo quinze dias.

Vacinação

Segundo informações do Hemosul, quem tomou vacinas recentemente não pode doar sangue. A vacinação que leva o indivíduo a ficar mais tempo sem doar é a da raiva precisa do intervalo de um ano.

Vacinas fabricadas de vírus ou bactérias atenuados, como a do Sarampo, Pólio Oral (Sabin), Febre Tifóide Oral, Caxumba (Parotidite), Febre amarela e BCG necessitam de três semanas de intervalo para a doação.

As vacinas contra o vírus da Rubéola e da Catapora (Varicela) exigem um intervalo mínimo de quatro semanas. Aquelas decorrentes de vírus ou bactérias mortas como a do Tétano, Cólera, Pólio (Salk), Difteria, Febre Tifóide e Paratifóide (injetável), Meningite, Coqueluche, Hepatite A, Peste, Pneumococo, Leptospirose, Brucelose, Haemophillus influenzae, Antraz e Doença de Lyme exigem um período mínimo de 48 horas para doar.

A imunização contra o vírus da Hepatite B (recombinante) exige um intervalo mínimo de sete dias e a do vírus da Gripe (Influenza), quatro semanas.

Serviço

O Núcleo Hemoterápico de Corumbá funciona na rua Colombo, 1250, entre as ruas 15 de Novembro e 7 de Setembro, no Centro. O telefone para contato é (67) 3232-2470.

Jornal Midiamax