Cotidiano

Governo do Estado faz bacias de contenção para evitar que lama chegue aos rios de Bonito

O Governo do Estado faz um serviço para o controle de qualidade nas águas dos rios que banham a cidade de Bonito, a 300 km da Capital. O trabalho é de construção de bacias de contenção na margem das rodovias MS-178 e MS-382. A medida acontece como resposta à turbidez que chegou às águas do […]

Mylena Rocha Publicado em 13/12/2018, às 12h56

Foto: Divulgação/Chico Ribeiro
Foto: Divulgação/Chico Ribeiro - Foto: Divulgação/Chico Ribeiro

O Governo do Estado faz um serviço para o controle de qualidade nas águas dos rios que banham a cidade de Bonito, a 300 km da Capital. O trabalho é de construção de bacias de contenção na margem das rodovias MS-178 e MS-382.

A medida acontece como resposta à turbidez que chegou às águas do Rio da Prata em novembro, deixando as águas marrons. O carreamento de terra para o leito do rio aconteceu depois do manejo do solo para o plantio de soja, feito por duas fazendas sem construção de curvas de níveis. As curvas de níveis são barreiras indispensáveis para impedir a erosão e acidentes ambientais.

As intervenções foram coordenadas pela Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) e Seinfra (Secretaria de Estado de Infraestrutura). A medida foi sugerida durante uma audiência pública realizada em Bonito.

Na terça-feira (11), durante reunião em Bonito, o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) garantiu medidas de curto prazo para impedir novos impactos ambientais, como a adoção de uma legislação específica para preservar os banhados. No encontro, o secretário da Semagro, Jaime Verruck, defendeu o desenvolvimento do turismo e da agricultura sustentáveis na região com a adoção de boas práticas. Ele anunciou um programa estadual de conversão de multas ambientais em projetos de recuperação ambiental, priorizando a região de Bonito na captação desses recursos.

A Seinfra já trabalha na manutenção das estradas da região construindo barreiras chamadas “bigodes”, que servem para quebrar a velocidade e direcionar as águas pluviais para bacias de contenção. A ausência desse sistema de controle na maioria das estradas vicinais agravou o comprometimento dos rios.

A Seinfra já trabalha na manutenção das estradas da região construindo barreiras chamadas “bigodes”, que servem para quebrar a velocidade e direcionar as águas pluviais para bacias de contenção. A ausência desse sistema de controle na maioria das estradas vicinais agravou o comprometimento dos rios.

Uma das intervenções é feita na MS-178, onde são abertas bacias de contenção com três metros de profundidade nas laterais da rodovia. As bacias servem para impedir que a enxurrada com sedimentos chegue ao leito do Rio da Prata. O mesmo serviço é feito em um trecho primário da MS-382, preservando o córrego Seco, que deságua no rio Formoso.

(com informações do Governo de MS)

Jornal Midiamax