Cotidiano

Com pneumonia, idoso de 72 anos aguarda vaga hospitalar há 12 dias em UPA

Aos 72 anos, o aposentado Doraildo Antônio Lima está internado há 12 dias na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Leblon, em Campo Grande, à espera de uma vaga hospitalar. Com pneumonia e um nódulo no pulmão, o idoso respira com ajuda de aparelho.  

Mylena Rocha Publicado em 06/07/2018, às 12h55 - Atualizado às 15h48

None

Aos 72 anos, o aposentado Doraildo Antônio Lima está internado há 12 dias na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Leblon, em Campo Grande, à espera de uma vaga hospitalar. Com pneumonia e um nódulo no pulmão, o idoso respira com ajuda de aparelho.

Doraildo não tem filhos e vive sob os cuidados da sobrinha Sebastiana de Castro, que já entrou com processo na Defensoria Pública para garantir uma vaga em hospital para o idoso. “O pulmão dele está muito fraco e o batimento também. Ele está lá na UPA até hoje, tomando antibiótico, a melhora foi muito pouca. Tem que fazer tomografia para ver essa lesão no pulmão dele. Ele não consegue ficar sem oxigênio e vai precisar mesmo quando for embora para casa”, conta.

A descoberta da doença foi repentina, quando Doraildo contraiu gripe. Segundo a sobrinha, o idoso ficou internado por três dias, quando o médico recomendou que fosse para casa. Sem sinal de melhora, o aposentado voltou para a UPA, onde está internado desde então. “Eu preciso levar ele para o hospital, médico falou ‘o que a gente podia fazer por ele aqui já foi feito’”, diz Sebastiana.

A Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) afirma que acompanha o caso e que tem solicitado a vaga hospitalar insistentemente, sem sucesso. “A demora para a transferência ocorre devido à baixa rotatividade de leitos nos hospitais, que dificulta que pacientes que aguardam transferência em unidades de pronto atendimento sejam removidos”. A Sesau ainda ressalta que o paciente tem recebido toda a assistência médica necessária.

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.

Jornal Midiamax