Cotidiano

CCZ fará teste de febre amarela em macaco encontrado morto em MS

Febre amarela foi registrada em outros estados

Wendy Tonhati Publicado em 21/01/2018, às 18h21

None

Febre amarela foi registrada em outros estados

O macaco encontrado morto, no último sábado (20), na zona rural que divide as cidades de Maracaju e Rio Brilhante foi recolhido e encaminhado ao CCZ (Centro de Controle de Zoonose), em Campo Grande, que fará testes para detectar a causa da morte. A fazenda está em Rio Brilhante, mas a maioria dos funcionários de lá vivem em Maracaju. 

Com casos de febre amarela em estados  que fazem divisa com o Mato Grosso do Sul, como São Paulo e Minas Gerais, a população ficou alarmada.

De acordo com o prefeito de Maracaju, Maurilio Ferreira Azambuja, o animal foi o único encontrado morto na região, que fica a cerca de 50 quilômetros da cidade. Segundo ele, como a cidade tem grande quantidade de trabalhadores rurais, a preocupação com a vacinação contra a febre amarela é constante.

CCZ fará teste de febre amarela em macaco encontrado morto em MS

Febre amarela

De julho de 2017 a 14 de janeiro deste ano, o país registrou 35 casos da doença. A febre amarela não é transmitida de pessoa para pessoa, nem de macaco para seres humanos. Os macacos são os principais hospedeiros do vírus, mas os únicos vetores de transmissão da doença são os mosquitos silvestres Haemagogus e o Sabethes. No meio silvestre, os mosquitos picam o macaco, que depois de infectado pelo vírus pode ser picado por outro vetor e este, por sua vez, transmite para o homem. No caso da área urbana, a transmissão ocorre pela picada do mosquito Aedes aegypti.

(Matéria editada às 7h48 da segunda-feira (22). Ao contrário do informado anteriormente, não será o Lacen (Laboratório Central de Saúde Pública) que fará testes no animal, e sim, o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses).

Foto: Maracaju Speed

Jornal Midiamax