Cotidiano

Alunos de 7 a 12 anos da rede pública são alvos da nova Caravana da Saúde

Mais de 42 mil alunos da Capital serão atendidos

Joaquim Padilha Publicado em 23/03/2018, às 12h55

None

Mais de 42 mil alunos da Capital serão atendidos

O governo do Estado vai aplicar R$ 5,8 milhões em um contrato para que a Caravana da Saúde passe pelas escolas do Estado oferecendo serviços oftalmológicos e auditivos assistenciais aos alunos da rede pública, que serão foco do programa neste ano.

O contrato, publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (23), foi assinado pelo secretário Estadual de Saúde, Carlos Alberto Moraes Coimbra, e pela empresa Link Saúde Brasil.

Este ano a ação da Caravana da Saúde será focada nos alunos das escolas públicas. Nas últimas duas edições anteriores, o programa esteve focado em cirurgias de catarata em idosos, e em zerar a fila de marcação de cirurgias no Estado.

De acordo com o governo do Estado, o foco será identificar problemas de audição e visão em alunos com idades entre 7 a 12 anos de idade. Na capital, a expectativa é que sejam atendidos mais de 42 mil alunos das escolas estaduais e municipais.Alunos de 7 a 12 anos da rede pública são alvos da nova Caravana da Saúde

Os atendimentos irão começar já na próxima terça-feira (27), na Escola Estadual Dr. Arthur de Vasconcellos dias, em Campo Grande, como projeto piloto. A Escola Estadual Profª Ada Teixeira dos Santos será a próxima atendida, no dia 2 de abril.

Evasão escolar

Em muitos casos, a evasão escolar está ligada a problemas auditivos e oftalmológicos, devido à dificuldade do aluno em prestar atenção nas aulas e lições. Uma em cada cinco crianças em idade escolar sofre de algum problema oftalmológico, segundo a Academia Americana de Oftalmologia.

Para combater a evasão, os atendimentos da Caravana, que passará em veículos de escola em escola, devem garantir óculos e aparelhos auditivos para alunos que apresentem necessidades.

A entrega dos aparelhos ocorrerá num “dia D”, também com atendimento à população geral, após o atendimento dos alunos da rede pública. O governo pretende finalizar a ação até fim de maio.

Jornal Midiamax