tem 3,4 mil pontos de ônibus

Entre as maiores reclamações dos usuários de de Campo Grande está a situação dos pontos de ônibus. Em muitos bairros, há somente um pedaço de madeira sinalizando a parada do coletivo e, em outros, o abrigo já fez aniversário, completando décadas de idade no local. 

Para tentar dar mais conforto os usuários, que se também se queixam de ficar por muito tempo esperando o coletivo, a Prefeitura ‘inaugurou' na última terça-feira (1°), uma leva de abrigos novos por toda a Capital. Já foram feitos os trabalhos de cobertura de 50 pontos de ônibus e mais 50 serão feitos. A maior novidade, divulgada pelo Município, são as informações aos usuários afixadas nos pontos de ônibus em um código QR. 

O chamado QR Code é um código de barras bidimensional que pode ser facilmente escaneado usando a maioria dos telefones celulares equipados com câmera. No ponto de ônibus da Avenida Panambi Vera, na frente da Escola Nagen Saad, – o primeiro a ser ‘inaugurado' já dá para encontrar a placa com o QR Code que informa o horário dos ônibus. O local, por exemplo, é atendido pela linha 308 (Santa Emília). O Jornal Midiamax fez o teste no local para saber se está funcionando. 

VÍDEO: conferimos como funciona o QR Code nos pontos de ônibus

Mas quem vai embarcar, deve ficar atento, que os horários não são precisos. No momento em que o Jornal Midiamax testava a funcionalidade, o ônibus passou três minutos antes. Segundo técnicos, o horário não é definido somente pelo GPS que tem em todos os ônibus.

Como alguns lugares são definidos como “área de sombra” (região onde as redes (2G ou 3G) apresentam ausência do sinal por barreiras físicas como prédios, shoppings e elevadores e também os locais de difícil acesso), o horário é estimado pela “tabela”. Com isso, podem estar atrasados ou adiantados. 

Os usuários do transporte coletivo também devem ficar atentos aos leitores de QR Code. Alguns já abrem a página com o horário direto e, outros, (como o do Jornal Midiamax) posse ser necessário clicar em um link. O Jornal Midiamax percorreu outros pontos de ônibus, já com a cobertura nova, mas em nenhum deles foi visto o QR Code. Em um deles, a cobertura nova já foi inclusive, pichada.

Reclamações

Nas proximidades do ‘ponto de ônibus moderninho', há uma parada onde há somente a madeira laranjada sinalizando. Quem desceu no local foi a auxiliar de limpeza Estela Centurião. Ela disse ainda não ter visto no novo ponto de ônibus, mas que a falta de abrigo prejudica os usuários. “Prejudica na época de frio, chuva e calor. É precário. Acho caro e não tem nenhuma cobertura”, diz. 

A recepcionista Priscila Gama diz que não tem muitos problemas, mas que o para ela, falta iluminação nas imediações dos pontos de ônibus. “Perto da minha casa tem cobertura e aqui, também já tinha. Mas, acho que falta iluminação pública perto”, diz.

Abrigos

De acordo com a Prefeitura de Campo Grande, está em fase de aprovação na Caixa a instalação de mais 500 coberturas, como parte do projeto do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) da Mobilidade Urbana. O Município também prometeu a instalação do QR Code, gradativamente para os 3,4 mil pontos existentes.