Cotidiano

Vazamento de gás já foi controlado, afirma frigorífico Marfrig

21 funcionários foram para hospital

Midiamax Publicado em 08/02/2017, às 20h26

None
marfrig2.jpg

21 funcionários foram para hospital

O frigorífico Marfrig, de Batagassu, município a 335 quilômetros de Campo Grande, afirmou, em nota enviada à imprensa, que o vazamento de amônia ocorrido na unidade nesta tarde já foi controlado. O texto afirma que não houve “qualquer dano aos colaboradores”, embora o Corpo de Bombeiros tenha informado o transporte de 21 pessoas da empresa para o Pronto Socorro Municipal. A empresa é do mesmo grupo do curtume em que morreram 4 pessoas, também em Bataguassu, no ano de 2012.

De acordo com a informação divulgada pelo Marfrig, “houve um incidente na válvula do tanque de amônia provocando vazamento na unidade de Bataguassu”. A empresa afirma que todos os procedimentos de emergência e evacuação foram ‘prontamente’ adotados pela unidade.

De acordo com o site Da Hora Bataguassu, o vazamento se espalhou para outros setores do frigorífico e cerca de 21 pessoas precisaram ser atendidas e encaminhadas ao Pronto Socorro Municipal, por carros particulares e ambulâncias da própria empresa, além das equipes dos bombeiros. Todas foram medicadas e nenhuma está em estado grave.

Uma funcionária que estava fora da unidade também teria passado mal e sido atendida por pessoas que estavam próximas a região.

Segundo os relatos do local, os funcionários teriam informado que os alarmes de evacuação da unidade tocaram todos saíram rapidamente do local, porém alguns já teriam inalado o gás e chegaram a desmaiar dentro da empresa.

Equipes da Policia Militar e também da PRF (Policia Rodoviária Federal) foram acionadas, para ajudarem a sinalizar o trânsito.

Outros vazamentos

Em janeiro de 2012, quatro pessoas morreram após vazamento de gás sulfídrico no curtume da unidade da Marfrig em Bataguassu, durante o descarregamento do ácido em um caminhão. O produto era usado para retirada de pelos do couro do gado. No total 22 funcionários foram envolvidos, mas quatro morreram na hora, três foram internados e os outros 15 receberam alta no dia seguinte ao incidente. 

Em outubro de 2016, o vazamento de amônia em uma das salas de resfriamento do frigorífico fez com que uma funcionária precisasse ser socorrida e encaminhada para o Pronto Socorro Municipal em uma ambulância do próprio frigorífico. 

Jornal Midiamax